Deus e Deusa Meru

From TSL Encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
This page is a translated version of the page God and Goddess Meru and the translation is 100% complete.
Other languages:
English • ‎español • ‎português • ‎русский

O Deus e a Deusa Meru são manus da sexta raça-raiz – o sexto de sete grupos originais de almas destinadas a encarnar no planeta. Eles são legisladores e encarnam a imagem Crística para todos os membros dessa raça-raiz. São também patrocinadores da educação, do aprendizado avançado, da aceleração da mente, do coração e da alma, e do pleno desenvolvimento do potencial dos nascituros e de todas as crianças, durante o processo de amadurecimento.

Os termos Deus e Deusa denotam que são seres cósmicos que personificam a consciência divina do cargo que ocupam. O Deus Meru explicou que os nomes vêm da antiga Lemúria, onde as suas chamas gêmeas guardavam a luz da Terra-Mãe. O foco físico da chama da Mãe perdeu-se quando a Lemúria afundou no Pacífico. Para compensar a perda daquele foco, o Deus e a Deusa Meru entronizaram a chama da Mãe no retiro que mantêm no plano etérico.

O retiro deles

Artígo principal: Templo da Iluminação

O retiro imenso que administram, o Templo da Iluminação, está localizado sobre o lago Titicaca, no alto das montanhas dos Andes, na fronteira entre o Peru e a Bolívia. O centro do retiro fica exatamente sobre as ruínas de um antigo templo que ficava em uma ilha daquele lago, a ilha do Sol.

No Templo da Iluminação, o Deus e a Deusa Meru focalizam o raio feminino da Divindade para o planeta, tal como Himalaia e a sua chama gêmea, manus da quarta raça-raiz, focalizam o raio masculino no retiro etérico que mantêm nos Himalaias. A polaridade desses raios é evidente nas filosofias religiosas do Oriente e do Ocidente. A austeridade e a polaridade mental da adoração, no Oriente, são equilibradas pela devoção ao princípio da Mãe e pelo aspecto emocional da religião preponderante, no Ocidente.

O retiro do Royal Teton, nas montanhas Rochosas (EUA ), é uma estação para a retransmissão das energias da Fraternidade da Sabedoria. Há um arco de iluminação que vai dos Andes até às montanhas Rochosas e, a partir do foco que mantêm na América do Norte, o Deus e a Deusa Meru direcionam a ação da chama da iluminação para os corações da juventude do mundo. O seu programa de educação de massas leva as almas aos templos de luz para serem treinadas enquanto os seus corpos repousam, e é exercido nos retiros que a Fraternidade mantém pelo mundo afora. Graças aos esforços do Deus e da Deusa Meru, uma grande divulgação da Fraternidade prepara o caminho para a vinda da sétima raça-raiz e da era de ouro.

O Deus Meru fala-nos sobre a fundação do seu retiro:

Nas antigas civilizações, aqui, na América do Sul, vimos que os resultados dos esforços cósmicos foram muito além do que vedes no mundo moderno. Vimos grandes estradas construídas pelos primeiros incas. Vimos meios de transporte que superavam os que agora admirais. Testemunhamos o surgimento de templos magníficos da verdade, da vida, da luz e do amor que se desenvolveram e se manifestaram graças aos esforços do coração e da mente de homens que trabalharam em harmonia universal, até que aquele esplendor ultrapassasse tudo o que a vida moderna e a antiga – em muitos casos, em outros continentes – alguma vez manifestou. Ainda hoje, na maior parte da região anteriormente ocupada por grandes templos e cidades exuberantes, encontramos ruínas tomadas pela selva. E por que isso aconteceu, seres graciosos?

Porque a mente e o coração desses indivíduos não acompanharam os avanços científicos que a vida lhes concedera. Em vez disso, as pessoas passaram, em primeiro lugar, a expressar em si mesmas uma certa forma de desarmonia que acabou sendo transmitida para outras partes da vida. Depois passaram a competir uns com os outros e a exigirem o reconhecimento dos sonhos da sua vida, com os respectivos desdobramentos.

Foi por causa do espírito de competição e de rivalidade, que havia entre eles, que a desarmonia se instalou. E a civilização, liderada por sacerdotes do fogo sagrado que haviam perdido os seus postos eminentes, entrou em decadência. E a ruína imperou na América do Sul. Mas, devido à luz que haviam emanado e que ascendera a Deus e chegava aos céus, por força de uma lei cármica foi decretado que deveríamos manter, aqui, um grande foco espiritual de luz majestosa!

Então, no lago Titicaca, em uma região pouco contaminada por pensamentos e sentimentos mortais, brotou um foco pleno do momentum reunido de todas as correntes de vida e dos seus esforços construtivos, fundidos na magnífica chama cósmica da iluminação. A sabedoria de Deus que criara aquelas civilizações estava presente, e a chama que se eleva aqui, no Titicaca, é a chama da sabedoria de Deus Todo-Poderoso, que se ergue como um grande pilar de testemunho para todos os povos e todas as nações. No entanto, só alguns conseguem compreender a majestade que, agora e em todos os tempos, se eleva até ao éter e pulsa com a chama da sabedoria divina para libertar a humanidade.[1]

Em 28 de dezembro de 1977, o Deus e a Deusa Meru dedicaram o Ashram da Mãe do Mundo em Los Angeles como uma extensão de seu retiro.

O plano deles de cooperação entre as crianças e as famílias

Atualmente, as famílias, as crianças e a juventude estão muito sobrecarregadas. Avaliando a situação, o Deus e a Deusa Meru desenvolveram um plano de cooperação entre a criança, a família e a comunidade. Meru diz:

Agora lerei um pergaminho redigido pelos anjos do nosso retiro. A amada Deusa Meru e eu estabelecemos as prioridades para a proteção e para a segurança da juventude, de modo que atinjam a maturidade e a Cristicidade, aos trinta e três anos de idade:

Em primeiro lugar, dedicar a educação à Palavra e ao Sagrado Coração – dedicando os três erres (Em inglês os três erres significam, ler, escrever e contar, as três bases do aprendizado) como os três raios da chama trina – estabelecendo, assim, as fundações por meio das quais todo aprendizado proceda do interior.

Os pais necessitam ter compreensão e treinamento. Assim, na nossa lista, em segundo lugar está o treinamento dos pais.

Como terceiro ponto está o estabelecimento de um pacto entre pais, professores e patrocinadores das crianças, para trabalharem juntos como uma chama trina de devoção, primeiro nesta comunidade e, depois, de cidade em cidade. Assim, constatareis que a morte e o inferno querem destruir as vossas crianças e que, por isso, precisais orar fervorosamente! Precisais fazer o voto, depois de compreenderdes o seu significado, de vos colocardes entre a juventude do mundo e a morte e o inferno.

Na nossa lista, em quarto lugar está o bastião de fogo branco do voto. Ao fazê-lo é preciso que vos lembreis da primeira Mãe da Chama, Clara Louise, que mantinha uma vigília de oração diária pela juventude, que começava às quatro da madrugada e terminava no final da manhã. Ela orava pela alma de todos os jovens, desde os nascituros até aos universitários e além deles.

A ação comunitária é o próximo ponto da lista. O envolvimento com a comunidade que fortalece a família, conforme os pilares gêmeos, a família e a comunidade, fortalecem uma senda da individualismo para as pessoas de todas as idades. A dissolução da família e das comunidades de bairro fragmenta a sociedade e dispersa os membros dos grupos cármicos, assim como as pessoas de diferentes faixas etárias, impedindo-os de aprenderem uns com os outros e de amadurecerem, conforme os mais velhos inspiram os que estão vindo e a juventude dá início à nova onda de uma Nova Era, que também pode estimular os que estão na meia-idade ou se aposentando.

A comunidade deve ser um baluarte de valores, de serviço conjunto, da satisfação de necessidades mútuas e do estabelecimento de metas e prioridades, não sendo a menor dentre elas a proteção a esse círculo de vidas. Seres abençoados, uma comunidade tem metas que vão além da própria sobrevivência e da felicidade. É preciso que a razão de ser do todo esteja voltada para o incentivo e para a elevação de cada um dos membros.

Isso leva-nos ao ponto seguinte da lista: treinar os membros da sociedade, especialmente as crianças, para que sejam os cidadãos responsáveis que assumirão funções essenciais do grupo, seja como força policial, corpo de bombeiros, membros do conselho municipal ou aqueles que proporcionam à comunidade cuidados especiais e serviços, de forma que ela sobreviva.

Quando todas as forças do caos tentarem destruir um estilo de vida, voltemo-nos para a música das esferas. Voltemo-nos para o apaziguamento de almas, a invocação das harmonias e a manifestação dos sons da era de ouro que nunca foram ouvidos. Este ponto da lista é uma ativação proporcionada pelo coração de Cyclopea, que patrocina conosco este chamamento. Cyclopea guarda melodias secretas que, quando liberadas farão com que a juventude se recorde de tempos antigos, de votos internos e de outros anos em que a beleza e o amor, mesmo nas oitavas etéricas, lhe pertenciam.

A juventude precisa do consolo do Espírito Santo e não de excessos. Tragicamente, tragicamente, poucos, na atualidade, anseiam por uma senda e um discipulado. Recomendamos o estudo e a elaboração de um programa que reforce a individualidade, diminuindo, assim, a necessidade de, nestes tempos perigosos, haver uma interdependência emocional entre os adolescentes, que os faz ter medo de manterem a sua opinião sobre uma causa ou um princípio.

Por que a pressão dos pares provoca consequências tão grandes, amados? Será devido à falta de apoio dos pais, da compreensão e até mesmo da camaradagem de uma família que não está tão distante e não estabelece barreiras artificiais entre uma geração e a seguinte? Não eduquemos as crianças de forma tão negligente, a ponto de elas desconhecerem a sua mente, o seu coração e os seus valores; de não terem tido ideais nobres, histórias de santos e de heróis ou exemplos de consequências cármicas de ações ruins.

Somos o Deus e a Deusa Meru, patrocinadores e instrutores de Jesus e de todos os que vieram servir a sexta raça-raiz. Por isso, Jesus e muitos outros santos estudaram por muito tempo no nosso retiro que, para eles, é uma base domiciliar. Nós vos convidamos para virdes aqui com frequência. Assim sabereis que nós e os Instrutores Mundiais permaneceremos convosco até que toda criança da Terra tenha a oportunidade de receber, no coração, a instrução do Santo Cristo Pessoal, e de instrutores, pais e patrocinadores ungidos.[2]

Autocondenação

O Deus Meru deu um ensinamento excelente sobre a autocondenação:

Alguns de vós ocupais o lugar do escarnecedor. Escarneceis de vós mesmos. Condenais-vos por que pensais que não sois o que deveríeis ser, que não vos esforçastes quanto deveríeis. Talvez tenhais vos esquecido de orar esta manhã, ou não tivestes tempo. Passareis o dia vos condenando? Ou, se devido a alguma indiscrição cometeis um pecado do qual vos arrependeis sinceramente, ficaríeis sobrecarregados pela autocondenação, todos os dias da vossa vida, pensando que não sois aceitáveis para a Divindade?

No final, o resultado da autocondenação é a rebelião contra Deus. O homem não pode viver se autocondenando e precisa descartar a imagem do Deus colérico que ele pensa que o está condenando. E o homem só conseguirá livrar-se disso, negando Deus totalmente. Mas quem criou o Deus da condenação, senão o próprio homem, insatisfeito consigo mesmo?

Ó preciosos filhos do Sol, não vos canseis de fazer o bem. Não vos sobrecarregueis com o sentimento de culpa, pois, em Deus não há condenação. São os demônios e os caídos que se colocam à vossa frente e vos condenam, de dia e de noite. E sussurram aqui, sussurram ali, e dizem que sois pessoas terríveis, que sois pecadores miseráveis, e que para vós não há esperança de salvação. Preciosos corações, grande parte da humanidade está sobrecarregada pelo sentimento de condenação que reprime a criatividade e sufoca a beleza da Divindade – o potencial para manifestar a ciência da luz, a música das esferas, a cultura da era de ouro.

As pessoas caminham pelas ruas sentindo que não merecem viver. O Deus em vós é digno de adoração! O Deus em vós é digno de júbilo, de aprovação! Se vos sentis sobrecarregados pela consciência de pecado, eu pergunto: que consciência tendes de Deus? O que pensais de Deus se considerais o pecado tão real que nunca conseguis vos libertar da escravidão do pecado? Estará Deus consciente disso tudo? Eu digo-vos que não. E se Ele não tem tal percepção, por que deveríeis dar a isso uma fagulha da vossa atenção, já que onde está a consciência, para lá flui a energia? Para lá flui a energia e, agindo dessa maneira, usais a energia do grande Rio da Vida numa matriz de autocondenação. Pouco a pouco condenais-vos a estar fora da existência.

Alguns de vós... sofreis neste momento de doenças físicas ou de impedimentos que são o resultado direto da vossa autocondenação que se tornou um peso tão grande para o vosso elemental do corpo que se manifestou na vossa forma física.

Ó corações preciosos, elevai-vos e libertai-vos, e o Cristo conceder-vos-á a luz. Precisais libertar-vos do sentimento de pecado, se quiserdes avançar trinta centímetros na Senda. Obstruís o progresso enquanto vos considerais pecadores. Teria o Criador perdido o poder de perdoar, transmutar e dissolver o pecado? Não. O nosso Deus é um Deus de misericórdia e um fogo consumidor. Testai-o como Ele vos ordenou que fizésseis. Testai a Sua lei.

Lançai os pecados no fogo, tal como no antigo sacrifício dos filhos de Israel, o símbolo de colocar na chama a menagerie do subconsciente – as formas animalescas, as trevas, a densidade. Como o fareis? Dizei simplesmente: “Em nome de Jesus, o Cristo, lanço na chama tudo que é inferior ao Cristo. Ó Deus, consome-o, eu Te peço! Ouve o meu apelo e responde. Aceito que isto se manifeste agora mesmo, com pleno poder, em cumprimento à promessa do Criador”. Se fizerdes o chamado, o céu inteiro se mobilizará, na mesma hora, para tirar de vós o fardo do sentimento de pecado.[3]

O corredor de luz para o Rancho do Royal Teton

No discurso de Natal de 1986, Jesus anunciou que o Deus e a Deusa Meru haviam saído do lago Titicaca para “criar um corredor de luz, que irá do retiro etérico sobre o Rancho do Royal Teton até ao retiro do raio feminino, no lago Titicaca”, abrindo uma estrada pela qual os nossos chamados poderiam “alcançar a tempo a América do Sul”.

Em 10 de outubro de 1988, Hércules disse que, por a área do lago Titicaca, nos Andes (onde o raio feminino deveria ser ancorado fisicamente) estar coberta de substância astral, o Rancho do Royal Teton “deve bastar” como “foco físico do raio feminino para a Terra, aqui nas Rochosas do Norte... até que acabe o período de trevas dos trabalhos da terra”. Como os mestres ascensos e os mestres não ascensos dos Himalaias mantêm a chama do raio masculino, ele poderá ser ancorado, no físico, no retiro do Lótus Azul, do Senhor Himalaia, localizado nos Himalaias.

Serviço futuro

O Deus e a Deusa Meru servem diretamente sob a direção de Hélios e Vesta e devem assumir o seu cargo quando estes grandes seres de luz assumirem uma tarefa mais elevada. Em 12 de setembro de 1965, o Mestre Ascenso Casimiro Poseidon anunciou que os Mensageiros Mark e Elizabeth Clare Prophet estavam sendo preparados para assumir os cargos ocupados pelo Deus e pela Deusa Meru, quando estes mestres avançarem no seu serviço cósmico.

Fontes

Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, Os Mestres e os seus retiros, s.v. “Deus e Deusa Meru.”

  1. Deus Meru, 28 de agosto de 1966.
  2. Deus Meru, To Pleade the Cause of Youth (Pleitear a Causa da Juventude), Pérolas de Sabedoria, vol. 30, n° 19, 10 de maio de 1987.
  3. Deus Meru, 1° de setembro de 1973.