Oromasis e Diana

From TSL Encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
This page is a translated version of the page Oromasis and Diana and the translation is 100% complete.
Other languages:
English • ‎español • ‎português
450px-Fire in the dark.JPG

Oromasis e Diana são os supervisores do elemento fogo e das salamandras que servem este planeta. O seu cargo, que se encontra na linha doze do relógio cósmico e que exercem sob a direção das quatro forças cósmicas, está focalizado no Centro. Estas chamas gêmeas servem no retiro de Hércules, no Half Dome, no Parque Nacional Yosemite, na Califórnia (EUA) e no foco que mantêm no plano etérico, situado sobre uma ilha do mar de Bering, próxima à costa da península de Kamchatka, na Rússia.

O serviço que eles prestam

O príncipe Oromasis e a princesa Diana, como são chamados pelos seus seguidores, trabalham com as hierarquias de Capricórnio, de Aquário e de Peixes, ensinando à humanidade a mestria do plano etérico; e com as hierarquias de Áries,de Leão e de Sagitário, ensinando a mestria do elemento fogo. Eles também trabalham com Zaratustra e com os sacerdotes da Ordem de Melquisedeque.

Sendo do elemento fogo, eles atuam com intensidade no corpo etérico, ou corpo de fogo do homem e ajudam-no a ter mestria da ação do caduceu e a expandir os sete chakras, além de regularem o fluxo de luz que passa por eles e alinharem os quatro corpos inferiores.

Usando o seu momentum de fogo sagrado, Oromasis e Diana, juntamente com as legiões do relâmpago azul e os anjos de fogo branco a seu comando, intensificam e aceleram a ação das chamas em resposta aos pedidos feitos pela humanidade encarnada. Esta habilidade de acelerar e intensificar a ação da chama invocada, incluindo a da chama trina do coração, qualifica-os muito especialmente para auxiliarem na purificação dos quatro corpos inferiores e na libertação do corpo físico das densidades dos alimentos contaminados, das drogas e dos estimulantes. Oromasis e Diana devem ser invocados, a cada vinte e quatro horas, para que penetrem os quatro corpos inferiores e o ambiente em que a pessoa vive, a fim de retirarem os eflúvios do mundo daquele campo de força.

As salamandras

As salamandras, que estão sob o comando de Oromasis e Diana, são seres ígneos cujas auras ondulam com os raios irisados do corpo causal. Feitas de fogo líquido, que reflete a consciência daqueles a quem servem, a sua aparência muda constantemente, pois a sua natureza camaleônica reflete instantaneamente o prisma da consciência Crística que governa a sua forma.

Na verdade, esses seres são espelhos do Magneto do Grande Sol Central e instrumentos de todos os seres ascensos e cósmicos. Muito eficientes no seu trabalho de expansão e de serviço à vida, elas carregam varas de relâmpagos brancos como cetros de autoridade, e mantêm o equilíbrio do elemento fogo no mundo da forma.

Como seres do reino do Espírito informe, as salamandras não ficam confinadas a qualquer dimensão. Com cerca de três metros de altura, podem reduzir o seu tamanho, no cintilar de uma chama, para uns poucos centímetros. São seres de extraordinário poder. Se forem capturadas por magos negros, podem ser extremamente destrutivas, mas no serviço dos que amam o Cristo – onde amam estar – não há nada que não possam fazer para elevar os padrões da raça.

O amado Áries descreveu o trabalho das salamandras:

As salamandras flamejantes são altas e majestosas, cintilando nos fogos do arco-íris do Mais Alto Deus.

As salamandras ardentes servem à humanidade consumindo, por contato, os detritos não apenas do plano físico, mas também dos planos emocional, mental e etérico. O fogo é o único meio pelo qual os átomos e os elétrons podem ser libertados da densidade que o homem lhes impôs, enviando essa densidade ao Grande Sol Central para ser repolarizada com perfeição e ser usada novamente na grandiosa criação, na sinfonia dos séculos.[1]

Libertar elementais aprisionados

Oromasis e Diana dizem-nos que:

Há muito tempo, os caídos descobriram o valor de controlar os seres dos elementos. Fazem-no por meio de sangrias nas cerimônias de vodu e nos ritos satânicos, invocando forças demoníacas do plano astral, lançando feitiços mortais e destrutivos, e encantamentos que, pela hipnose, obrigam os elementais a cumprir as suas ordens. Algumas salamandras, assim como outros elementais, estão aprisionadas, há muitos séculos, sob esse flagrante mau uso do fogo sagrado e, por isso, a humanidade passou a temer os espíritos da natureza e a atribuir-lhes desígnios nocivos e malévolos.

Assim, a primeira obrigação do dia é invocar as legiões do Arcanjo Miguel e da Poderosa Astrea para libertar as salamandras aprisionadas e atraí-las para o Magneto do Grande Sol Central, para o coração de Deus para serem repolarizadas e realinhadas com a Sua poderosa vontade, que é sempre boa para todos que partilham da Sua taça.[2]

A humanidade pode invocar o Arcanjo Miguel e a Poderosa Astrea para libertar as salamandras e todos os seres elementais da negatividade e da magia negra que os impedem de realizar o seu serviço em plena obediência à vontade de Deus.

Devemos invocar Oromasis e Diana para que assumam o comando das ígneas salamandras e controlem todos os incêndios incontroláveis e destrutivos. Em nome do Cristo, temos de ordenar aos elementais que submetam os incêndios à autoridade de Deus. Peçamos aos amados Hélios e Vesta que levem as salamandras para o Magneto do Grande Sol Central, para que sejam repolarizadas e alinhadas com a sagrada vontade de Deus. Invoquemos o Grande Diretor Divino para deter as espirais da infâmia humana que aprisionaram os elementais em formas inferiores.

Também precisamos pedir que todos os elementais sejam purificados pela alquimia conjunta da chama da ressurreição e da chama violeta. A chama violeta pode consumir todas as substâncias radioativas que sobrecarregam as salamandras e o mundo, por causa do uso irresponsável da energia nuclear. Peçamos a Cyclopea que conceda a todos os elementais a imagem e a visão divinas da era de ouro, da Cidade Quadrangular e do Templo Formoso, de modo que eles possam manter a matriz da forma perfeita na Terra. Peçamos que a a terra seja selada na matriz esmeralda e na forma-pensamento da cura.

Dispensação dos doze elementais

Em 8 de julho de 1990, Diana anunciou:

Hoje trago comigo representantes dos quatro reinos. Uma companhia de elementais de cada um dos reinos ser-vos-á disponibilizada. Eles permanecerão convosco e obedecerão às ordens que derdes e que estiverem centradas no coração de diamante de Maria e de Morya. Permanecerão convosco enquanto cuidardes deles, enquanto os nutrirdes, os incluirdes nos vossos chamados e somente lhes atribuirdes tarefas que estejam de acordo com a vontade de Deus; enquanto não abusardes deles e os invocardes para os muitos propósitos da vossa vida, inclusive para a cura dos quatro corpos inferiores ou o cuidado com as questões práticas. Eles são como crianças e podeis considerar que, hoje, adotastes um pequeno pelotão com doze integrantes.[3]

Ver também

Elementais

Retiro de Oromasis e Diana

Fontes

Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, Os Mestres e os seus retiros, s.v. “Oromasis e Diana.”

  1. Amado Áries, “Por serdes purificados pela vida elemental, então purificai a vida elemental”, Pérolas de Sabedoria, vol. 62, n° 7, 15 de fevereiro de 2019
  2. Oromasis e Diana, Pérolas de Sabedoria, vol. 23, n°15, 13 de abril de 1980.
  3. Oromasis e Diana, Call for the Rainbow Fire! (Invocai o Fogo do Arco-íris), Pérolas de Sabedoria, vol. 33, n° 32, 19 de agosto de 1990.