Changes

Jump to navigation Jump to search
no edit summary
Line 52: Line 52:  
Na mandala dos Cinco Budas Dhyani, Akshobya está geralmente no Leste (embaixo), mas, às vezes, aparece no centro. Sua cor é azul. Ele governa o elemento água e personifica o ''skandha'' da forma. Em alguns sistemas é associado ao ''skandha'' da consciência. O trono de lótus de Akshobya é sustentado pelo elefante, símbolo de perseverança e de força.
 
Na mandala dos Cinco Budas Dhyani, Akshobya está geralmente no Leste (embaixo), mas, às vezes, aparece no centro. Sua cor é azul. Ele governa o elemento água e personifica o ''skandha'' da forma. Em alguns sistemas é associado ao ''skandha'' da consciência. O trono de lótus de Akshobya é sustentado pelo elefante, símbolo de perseverança e de força.
   −
O símbolo de Akshobya é o [[Special:MyLanguage/''vajra''|''vajra'']], também denominado trovão ou cetro de diamante. O ''vajra'' simboliza a iluminação e a natureza indestrutível  e resistente da consciência pura, ou a essência da  Realidade. Em algumas tradições, o ''vajra'' significa a união do homem e do Buda. Uma das suas pontas simboliza o reino macrocósmico do Buda e a outra, o reino microcósmico do homem.
+
O símbolo de Akshobya é o ''[[Special:MyLanguage/vajra|vajra]]'', também denominado trovão ou cetro de diamante. O ''vajra'' simboliza a iluminação e a natureza indestrutível  e resistente da consciência pura, ou a essência da  Realidade. Em algumas tradições, o ''vajra'' significa a união do homem e do Buda. Uma das suas pontas simboliza o reino macrocósmico do Buda e a outra, o reino microcósmico do homem.
    
O mudra de Akshobhya é o ''mudra bhumisparsha'', executado pela mão direita que toca o chão. O gesto simboliza a estabilidade. É o mudra que Gautama Buda usou para convocar o planeta a testemunhar o seu direito de alcançar a iluminação, quando foi desafiado por [[Special:MyLanguage/Mara|Mara]], o Ser Malévolo.
 
O mudra de Akshobhya é o ''mudra bhumisparsha'', executado pela mão direita que toca o chão. O gesto simboliza a estabilidade. É o mudra que Gautama Buda usou para convocar o planeta a testemunhar o seu direito de alcançar a iluminação, quando foi desafiado por [[Special:MyLanguage/Mara|Mara]], o Ser Malévolo.

Navigation menu