Changes

Jump to navigation Jump to search
no edit summary
Line 27: Line 27:  
<blockquote>Sois mortais. Eu sou imortal. A única diferença que há entre nós é que escolhi ser livre, e vós ainda precisais fazer essa escolha. Temos o mesmo potencial, os mesmos recursos, a mesma conexão com o Um. Eu optei por forjar uma identidade divina, porque, há muito tempo, uma voz tênue dentro de mim pronunciou o fiat de Alfa e do Deus vivente: “Filhos do Um, forjai a vossa identidade divina!” Ouvi o chamado, na calada da noite, e respondi: “Forjarei!” E quando disse, “Forjarei!”, todo o cosmo ecoou “Forjarei!” A vontade de ser convoca a vastidão do potencial do ser.</blockquote>
 
<blockquote>Sois mortais. Eu sou imortal. A única diferença que há entre nós é que escolhi ser livre, e vós ainda precisais fazer essa escolha. Temos o mesmo potencial, os mesmos recursos, a mesma conexão com o Um. Eu optei por forjar uma identidade divina, porque, há muito tempo, uma voz tênue dentro de mim pronunciou o fiat de Alfa e do Deus vivente: “Filhos do Um, forjai a vossa identidade divina!” Ouvi o chamado, na calada da noite, e respondi: “Forjarei!” E quando disse, “Forjarei!”, todo o cosmo ecoou “Forjarei!” A vontade de ser convoca a vastidão do potencial do ser.</blockquote>
   −
<blockquote>EU SOU Saint Germain e venho para reivindicar as vossas almas e as chamas do vosso coração para a vitória da era de Aquário. Eu estabeleci o padrão para a [[Special:MyLanguage/initiation|iniciação]] da vossa alma. Estou na senda da liberdade. Trilhai esta senda e ali me encontrareis. Serei o vosso instrutor, se me aceitardes.<ref>Saint Germain, I Have Chosen to Be Free (Eu Escolhi Ser Livre), Pérolas de Sabedoria, vol.18, n° 30, 27 de julho de 1975.</ref></blockquote>
+
<blockquote>EU SOU Saint Germain e venho para reivindicar as vossas almas e as chamas do vosso coração para a vitória da era de Aquário. Eu estabeleci o padrão para a [[Special:MyLanguage/initiation|iniciação]] da vossa alma. Estou na senda da liberdade. Trilhai esta senda e ali me encontrareis. Serei o vosso instrutor, se me aceitardes.<ref>Saint Germain, I Have Chosen to Be Free (Eu Escolhi Ser Livre), {{POWref-pt|18|30|, 27 de julho de 1975}}</ref></blockquote>
    
== Encarnações ==
 
== Encarnações ==
Line 54: Line 54:  
Em encarnações seguintes, Saint Germain e os seus seguidores, sob a orientação do Grande Diretor Divino, redescobriram a chama e continuaram a proteger o santuário. Mais tarde, o Grande Diretor Divino, auxiliado pelo seu discípulo, estabeleceu um retiro no local onde a chama se encontrava e fundou a Casa de Rakoczy, a casa real da Hungria.
 
Em encarnações seguintes, Saint Germain e os seus seguidores, sob a orientação do Grande Diretor Divino, redescobriram a chama e continuaram a proteger o santuário. Mais tarde, o Grande Diretor Divino, auxiliado pelo seu discípulo, estabeleceu um retiro no local onde a chama se encontrava e fundou a Casa de Rakoczy, a casa real da Hungria.
   −
[[File:Unción de David por Samuel, de Antonio González Velázquez (Real Academia de Bellas Artes de San Fernando).JPG|thumb|left|Samuel ungindo David, de Velázquez]]
+
[[File:Eli and Samuel.jpg|thumb|left|upright|"Samuel Relacionando a Eli os Julgamentos de Deus sobre a Casa de Eli", John Singleton Copley (1780)]]
 +
 
 +
[[File:Unción de David por Samuel, de Antonio González Velázquez (Real Academia de Bellas Artes de San Fernando).JPG|thumb|Samuel ungindo David, de Velázquez]]
    
=== O profeta Samuel ===
 
=== O profeta Samuel ===
Line 67: Line 69:  
Samuel advertiu os israelitas dos perigos que adviriam com os governantes, mas, mesmo assim, clamaram por um rei. Então Samuel ungiu Saul como líder e ordenou, tanto ao rei como ao povo, que obedecessem sempre à voz do S<small>ENHOR</small>. Mas, quando Saul provou ser um servidor infiel, Samuel pronunciou sobre ele o juízo do S<small>ENHOR</small> pela sua desobediência e, secretamente, ungiu [[Special:MyLanguage/King David|David]] como rei. Quando morreu, o profeta foi enterrado em Ramá. Todos os israelitas lamentaram a sua morte.
 
Samuel advertiu os israelitas dos perigos que adviriam com os governantes, mas, mesmo assim, clamaram por um rei. Então Samuel ungiu Saul como líder e ordenou, tanto ao rei como ao povo, que obedecessem sempre à voz do S<small>ENHOR</small>. Mas, quando Saul provou ser um servidor infiel, Samuel pronunciou sobre ele o juízo do S<small>ENHOR</small> pela sua desobediência e, secretamente, ungiu [[Special:MyLanguage/King David|David]] como rei. Quando morreu, o profeta foi enterrado em Ramá. Todos os israelitas lamentaram a sua morte.
   −
[[File:The Dream of Saint Joseph.jpg|thumb|alt=Saint Joseph, sleeping, an angel flying over him|''O Sonho de São José'', Philippe de Champaigne]]
+
=== São José ===
   −
=== São José ===
+
{{main-pt|Saint Joseph|São José}}
    
Saint Germain também encarnou como São José, pai de Jesus e esposo de [[Special:MyLanguage/Mother Mary|Maria]]. Existem poucas referências a ele no Novo Testamento. A Bíblia remonta a sua linhagem até [[Special:MyLanguage/King David|David]]. Relata, também, que quando o anjo do Senhor o avisou, em sonho, que Herodes planejava matar Jesus, ele fugiu com a família para o Egito. O retorno deles ocorreu somente após a morte de Herodes. Acredita-se que José tenha sido carpinteiro e que faleceu antes de Jesus iniciar o seu ministério público. A igreja católica reverencia São José como Patrono da Igreja Universal e a sua festa é celebrada no dia 19 de março.
 
Saint Germain também encarnou como São José, pai de Jesus e esposo de [[Special:MyLanguage/Mother Mary|Maria]]. Existem poucas referências a ele no Novo Testamento. A Bíblia remonta a sua linhagem até [[Special:MyLanguage/King David|David]]. Relata, também, que quando o anjo do Senhor o avisou, em sonho, que Herodes planejava matar Jesus, ele fugiu com a família para o Egito. O retorno deles ocorreu somente após a morte de Herodes. Acredita-se que José tenha sido carpinteiro e que faleceu antes de Jesus iniciar o seu ministério público. A igreja católica reverencia São José como Patrono da Igreja Universal e a sua festa é celebrada no dia 19 de março.
 +
 +
 +
[[File:St Alban Evesham All Saints' church.jpg|thumb|left|upright=0.5|Santo Albano, vitral na Igreja de Todos os Santos de Evesham]]
    
=== Santo Albano ===
 
=== Santo Albano ===
Line 78: Line 83:     
Quando a verdade veio à tona, Albano foi açoitado e condenado à morte. Segundo a lenda, a multidão que se reuniu para testemunhar a execução era tal que as pessoas não conseguiam atravessar a ponte estreita que havia no caminho. Albano orou e o rio abriu-se para dar passagem à multidão. Ao ver isso, o carrasco converteu-se e pediu para morrer no lugar do condenado. O pedido foi negado e ele foi decapitado, juntamente com Albano.
 
Quando a verdade veio à tona, Albano foi açoitado e condenado à morte. Segundo a lenda, a multidão que se reuniu para testemunhar a execução era tal que as pessoas não conseguiam atravessar a ponte estreita que havia no caminho. Albano orou e o rio abriu-se para dar passagem à multidão. Ao ver isso, o carrasco converteu-se e pediu para morrer no lugar do condenado. O pedido foi negado e ele foi decapitado, juntamente com Albano.
 +
 +
Albano é reverenciado pelo povo das Ilhas desde sua morte em <small> A </small>. <small> D </small>. 303. Como o Reverendo Alban Butler escreve em sua "Vidas dos Padres, Mártires e outros Santos Principais", “Nossa ilha por muitas eras recorreu a Santo Albano como seu glorioso protomártir e poderoso patrono de Deus, e reconheceu muitos grandes favores recebidos de Deus, por sua intercessão”.
    
=== Instrutor de Proclus ===
 
=== Instrutor de Proclus ===
   −
Saint Germain trabalhou, a partir de planos internos, como Mestre Instrutor dos neoplatônicos e inspirou o filósofo grego Proclus (c. 410–485), o respeitado diretor da Academia de Platão, em Atenas (Grécia). Sob a tutela do mestre, Proclus baseou a sua filosofia no princípio que afirma a existência de apenas uma realidade o “Um”, que é Deus, ou a Divindade, a meta final de todos os esforços da vida. Os escritos de Proclus abrangiam quase todos os ramos do saber – da filosofia à astronomia, da matemática à gramática. Ele reconhecia que a sua iluminação e filosofia vinham do alto, e considerava-se uma pessoa por cujo intermédio a revelação divina chegava à humanidade.
+
Saint Germain trabalhou nos planos internos como o Instrutor Mestre por trás dos neoplatônicos. Ele inspirou o filósofo grego Proclo (c. <small>A</small>.<small>D</small>. 410–485), o honrado chefe da Academia de Platão em Atenas. Ele revelou a vida anterior de seu aluno como um filósofo pitagórico, também mostrando a Proclo a farsa do Cristianismo de Constantino e o valor da senda do individualismo (levando à individualização da chama de Deus) que os cristãos chamam de "paganismo".  
 +
 
 +
Sob a tutela do Mestre, Proclo baseou sua filosofia no princípio de que apenas uma realidade verdadeira - o "Um", que é Deus, ou a Divindade, o objetivo final de todos os esforços da vida. O filósofo disse: "Além de todos os corpos está a essência da alma, e além de todas as almas a natureza intelectual, e além de todas as existências intelectuais o Um." <ref>Thomas Whittaker, ''The Neo-Platonists: A Study in the History of Hellenism'' [Os neoplatônicos: um estudo da história do helenismo], 2ª ed. (Cambridge: Cambridge University Press, 1928), p. 165.</ref>
 +
 
 +
Os escritos de Proclo se estenderam a quase todas as áreas de ensino, desde filosofia e astronomia até matemática e gramática. Ele reconheceu que sua iluminação e filosofia vieram de cima e ele acreditava ser aquele por meio de quem a revelação divina alcançou a humanidade.
 +
 
 +
Proclo reconheceu que sua iluminação e filosofia vieram de cima - na verdade, ele acreditava ser aquele por meio de quem a revelação divina alcançava a humanidade. “Ele não parecia estar sem inspiração divina”, escreveu seu discípulo Marino, “pois ele produziu de sua boca sábia palavras semelhantes à neve que cai mais densa; de modo que seus olhos emitiram uma radiância brilhante e o resto de seu semblante participou da iluminação divina.”<ref>Victor Cousin e Thomas Taylor, trad., ''Two Treatises of Proclus, The Platonic Successor'' [Os dois tratados de Proclo, o sucessor platônixo] (Londres: np, 1833), p. vi.</ref>
    
=== Merlin ===
 
=== Merlin ===
 +
 +
{{main-pt|Merlin|Merlin}}
    
No século cinco, Saint Germain encarnou como Merlin – alquimista, profeta e conselheiro da corte do [[Special:MyLanguage/King Arthur|rei Artur]]. Em uma terra dividida entre chefes belicosos e dilacerada por invasores saxões, Merlin liderou Artur em doze batalhas que, na verdade eram doze iniciações, com a finalidade de unir o reino bretão. Merlin trabalhou ao lado do rei para estabelecer a sagrada irmandade da [[Special:MyLanguage/Round Table|Távola Redonda]]. Sob a direção de Merlin e Artur, Camelot foi uma [[Special:MyLanguage/mystery school|escola de mistérios]] na qual cavaleiros e damas buscavam o desenvolvimento interior dos  mistérios do [[Special:MyLanguage/Holy Grail|Santo Graal]] e uma senda de Cristicidade pessoal.
 
No século cinco, Saint Germain encarnou como Merlin – alquimista, profeta e conselheiro da corte do [[Special:MyLanguage/King Arthur|rei Artur]]. Em uma terra dividida entre chefes belicosos e dilacerada por invasores saxões, Merlin liderou Artur em doze batalhas que, na verdade eram doze iniciações, com a finalidade de unir o reino bretão. Merlin trabalhou ao lado do rei para estabelecer a sagrada irmandade da [[Special:MyLanguage/Round Table|Távola Redonda]]. Sob a direção de Merlin e Artur, Camelot foi uma [[Special:MyLanguage/mystery school|escola de mistérios]] na qual cavaleiros e damas buscavam o desenvolvimento interior dos  mistérios do [[Special:MyLanguage/Holy Grail|Santo Graal]] e uma senda de Cristicidade pessoal.
Line 92: Line 107:     
=== Roger Bacon ===
 
=== Roger Bacon ===
 +
 +
{{Main-pt|Roger Bacon|Roger Bacon}}
    
Saint Germain foi Roger Bacon (1220-1292), filósofo, monge franciscano, reformador da educação e cientista. Em uma era em que a teologia ou a lógica, ou ambas, ditavam os parâmetros da ciência, Bacon promoveu o método experimental, declarou que acreditava que o mundo era redondo e criticou severamente os eruditos e cientistas da
 
Saint Germain foi Roger Bacon (1220-1292), filósofo, monge franciscano, reformador da educação e cientista. Em uma era em que a teologia ou a lógica, ou ambas, ditavam os parâmetros da ciência, Bacon promoveu o método experimental, declarou que acreditava que o mundo era redondo e criticou severamente os eruditos e cientistas da
Line 104: Line 121:  
=== Cristóvão Colombo ===
 
=== Cristóvão Colombo ===
   −
{{Main-pt|[[Special:MyLanguage/Christopher Columbus|Cristóvão Colombo]]}}
+
{{Main-pt|Christopher Columbus|Cristóvão Colombo}}
   −
Saint Germain também encarnou como Cristóvão Colombo (1451–1506), o descobridor da América. Mais de dois séculos antes de Colombo levantar âncora, o próprio Roger Bacon preparava o terreno para a
+
Saint Germain também encarnou como Cristóvão Colombo (1451–1506), o descobridor da América. Mais de dois séculos antes de Colombo levantar âncora, o próprio Roger Bacon preparava o terreno para a viagem ao Novo Mundo ao afirmar, no Opus Majus, que “o oceano entre a extremidade oeste da Espanha e a extremidade leste da Índia pode ser navegado em poucos dias, se o vento for favorável”.<ref>David Wallechinsky, Amy Wallace e Irving Wallace, ''The Book of Predictions'', Nova York: William Morrow and Co., 1980, p. 346.</ref> Apesar da afirmação não estar correta, visto que a India não fica a oeste da Espanha, ela serviu de instrumento para a descoberta de Colombo. O navegador citou o trecho na carta que enviou aos reis Fernando e Isabel, em 1498, na qual dizia que a viagem que empreendera em 1492 fora inspirada, em parte, por essa afirmação visionária.
viagem ao Novo Mundo ao afirmar, no Opus Majus, que “o oceano entre
  −
a extremidade oeste da Espanha e a extremidade leste da Índia pode
  −
ser navegado em poucos dias, se o vento for favorável”.<ref>David Wallechinsky, Amy Wallace e Irving Wallace, The Book of Predictions, Nova York: William Morrow and Co., 1980, p. 346.</ref> Apesar da afirmação não estar correta, visto que a India não fica a oeste da Espanha, ela serviu de instrumento para a descoberta de Colombo. O navegador citou o trecho na carta que enviou aos reis Fernando e Isabel, em 1498, na qual dizia que a viagem que empreendera em 1492 fora inspirada, em parte, por essa afirmação visionária.
     −
Colombo acreditava que Deus fizera dele “um mensageiro do novo céu e da nova terra sobre os quais Ele falou no Apocalipse de São João, depois de também o ter dito pela boca de Isaías.<ref>Clements R. Markham, Life of Christopher Columbus, (Londres: George Philip and Son, 1892), p. 207-208.</ref> Ao levar adiante esse empreendimento das Índias”, escreveu ele aos reis espanhóis, em 1502: “nem a razão, nem a matemática, nem os mapas tiveram qualquer utilidade para mim; as palavras de Isaías foram totalmente cumpridas”. Ele referia-se à profecia registrada em Isaías 11:10-12, que afirma que o Senhor
+
Colombo acreditava que Deus fizera dele “um mensageiro do novo céu e da nova terra sobre os quais Ele falou no Apocalipse de São João, depois de também o ter dito pela boca de Isaías.<ref>Clements R. Markham, Life of Christopher Columbus, (Londres: George Philip and Son, 1892), p. 207-208.</ref> Ao levar adiante esse empreendimento das Índias”, escreveu ele aos reis espanhóis, em 1502: “nem a razão, nem a matemática, nem os mapas tiveram qualquer utilidade para mim; as palavras de Isaías foram totalmente cumpridas”. Ele referia-se à profecia registrada em Isaías 11:10-12, que afirma que o Senhor “tornará a estender a mão para resgatar o restante do seu povo... e ajuntará os desterrados de Israel, e recolherá os dispersos de Judá desde os quatro confins da terra”.<ref>Enciclopédia Britânica, 15ª ed., s.v. Colombo, Cristóvão.</ref>
“tornará a estender a mão para resgatar o restante do seu povo... e
  −
ajuntará os desterrados de Israel, e recolherá os dispersos de Judá desde os quatro confins da terra”.<ref>Enciclopédia Britânica, 15ª ed., s.v. Colombo, Cristóvão.</ref>
      
Colombo estava certo de que fora escolhido para a missão por influência divina. Ele estudou os profetas bíblicos e anotou as passagens referentes à sua missão. Estas deram origem a um livro intitulado ''Las Proficias'', ou ''The Prophecies'', ou ''The Book of Prophecies Concerning the Discovery of the Indies and the Recovery of Jerusalem'' (O Livro de Profecias Relativo às Índias e à Recuperação de Jerusalem.) Embora o fato seja raramente mencionado, ele está de tal forma enraizado na história que até mesmo a ''Enciclopédia Britânica'' atesta, inequivocamente, que Colombo descobriu a América mais pela profecia do que pela astronomia.<ref.>Enciclopédia Britânica, 15ª ed., s.v. Colombo, Cristóvão.</ref.>  
 
Colombo estava certo de que fora escolhido para a missão por influência divina. Ele estudou os profetas bíblicos e anotou as passagens referentes à sua missão. Estas deram origem a um livro intitulado ''Las Proficias'', ou ''The Prophecies'', ou ''The Book of Prophecies Concerning the Discovery of the Indies and the Recovery of Jerusalem'' (O Livro de Profecias Relativo às Índias e à Recuperação de Jerusalem.) Embora o fato seja raramente mencionado, ele está de tal forma enraizado na história que até mesmo a ''Enciclopédia Britânica'' atesta, inequivocamente, que Colombo descobriu a América mais pela profecia do que pela astronomia.<ref.>Enciclopédia Britânica, 15ª ed., s.v. Colombo, Cristóvão.</ref.>  
Line 121: Line 133:  
=== Francis Bacon ===
 
=== Francis Bacon ===
   −
{{Main-pt|[[Special:MyLanguage/Francis Bacon|Francis Bacon]]}}
+
{{Main-pt|Francis Bacon|Francis Bacon}}
   −
Como Francis Bacon (1561-1626), foi filósofo, estadista, ensaísta e mestre literário. Considerado a mente mais brilhante que o Ocidente já produziu, Bacon é conhecido como pai do raciocínio indutivo e do método científico que, de certa forma, são grandemente responsáveis pela era tecnológica que vivemos. Ele previu que apenas a ciência aplicada poderia libertar as massas da miséria humana e do trabalho enfadonho pela mera sobrevivência de forma que pudessem buscar a
+
Como Francis Bacon (1561-1626), foi filósofo, estadista, ensaísta e mestre literário. Considerado a mente mais brilhante que o Ocidente já produziu, Bacon é conhecido como pai do raciocínio indutivo e do método científico que, de certa forma, são grandemente responsáveis pela era tecnológica que vivemos. Ele previu que apenas a ciência aplicada poderia libertar as massas da miséria humana e do trabalho enfadonho pela mera sobrevivência de forma que pudessem buscar a espiritualidade mais elevada que já tinham conhecido.
espiritualidade mais elevada que já tinham conhecido.
     −
“A Grande Instauração” (que significa a grande restauração depois
+
“A Grande Instauração” (que significa a grande restauração depois da decadência, do erro e da ruína) foi a fórmula que ele idealizou para mudar o “mundo inteiro”. Francis Bacon concebeu esse conceito ainda menino e, mais tarde, em 1607, quando o colocou no livro de mesmo nome, deu início à Renascença inglesa.
da decadência, do erro e da ruína) foi a fórmula que ele idealizou para mudar o “mundo inteiro”. Francis Bacon concebeu esse conceito ainda menino e, mais tarde, em 1607, quando o colocou no livro de mesmo nome, deu início à Renascença inglesa.
     −
Ao longo dos anos, Bacon reuniu ao seu redor um grupo de escritores
+
Ao longo dos anos, Bacon reuniu ao seu redor um grupo de escritores responsáveis por quase toda a literatura elisabetana. Alguns faziam parte de uma “sociedade secreta” à qual ele dera o nome de “Cavaleiros do Elmo”, cujos propósitos eram contribuir para o avanço do aprendizado, expandindo a língua inglesa, e criando uma nova literatura, escrita em idioma que os ingleses compreendessem, não em latim. Bacon também organizou a [[Special:MyLanguage/Bible translations|tradução da versão King James da Bíblia]], para que as pessoas comuns se beneficiassem lendo, elas mesmas, a Palavra de Deus.
responsáveis por quase toda a literatura elisabetana. Alguns faziam parte de uma “sociedade secreta” à qual ele dera o nome de “Cavaleiros do Elmo”, cujos propósitos eram contribuir para o avanço do aprendizado, expandindo a língua inglesa, e criando uma nova literatura, escrita em idioma que os ingleses compreendessem, não em latim. Bacon também organizou a [[Special:MyLanguage/Bible translations|tradução da versão King James da Bíblia]], para que as pessoas comuns se beneficiassem lendo, elas mesmas, a Palavra de Deus.
      
Criptogramas descobertos em 1890 nos originais das peças shakesperianas, nos trabalhos de Bacon e de outros autores elisabetanos revelam que Bacon era o autor das obras cuja autoria era atribuída a Shakespeare, e que era filho da Rainha Elizabeth e de Lord Leicester.<ref>Ver de Virginia Fellows, ''The Shakespeare Code'', 1st Book Library, 2000.</ref> Temendo perder o poder prematuramente, a mãe se recusara a reconhecê-lo como seu herdeiro.
 
Criptogramas descobertos em 1890 nos originais das peças shakesperianas, nos trabalhos de Bacon e de outros autores elisabetanos revelam que Bacon era o autor das obras cuja autoria era atribuída a Shakespeare, e que era filho da Rainha Elizabeth e de Lord Leicester.<ref>Ver de Virginia Fellows, ''The Shakespeare Code'', 1st Book Library, 2000.</ref> Temendo perder o poder prematuramente, a mãe se recusara a reconhecê-lo como seu herdeiro.
   −
Bacon foi perseguido até ao final da vida e os seus muitos talentos
+
Bacon foi perseguido até ao final da vida e os seus muitos talentos não foram reconhecidos. Acredita-se que ele tenha morrido em 1626, mas alguns afirmam que viveu secretamente na Europa, depois disso. Triunfando sobre circunstâncias que teriam destruído homens de menor envergadura, a sua alma ascendeu da [[Special:MyLanguage/Rakoczy Mansion|Mansão Rakoczy]], retiro do [[Special:MyLanguage/Great Divine Director|Grande Diretor Divino]], em 1º de maio de 1684.
não foram reconhecidos. Acredita-se que ele tenha morrido em 1626,
  −
mas alguns afirmam que viveu secretamente na Europa, depois disso.
  −
Triunfando sobre circunstâncias que teriam destruído homens de menor
  −
envergadura, a sua alma ascendeu da [[Special:MyLanguage/Rakoczy Mansion|Mansão Rakoczy]], retiro do
  −
[[Special:MyLanguage/Great Divine Director|Grande Diretor Divino]], em 1º de maio de 1684.
      
[[File:Count of St Germain.jpg|thumb|upright|Le Comte de Saint Germain]]
 
[[File:Count of St Germain.jpg|thumb|upright|Le Comte de Saint Germain]]
Line 145: Line 149:  
=== O Homem Prodigioso da Europa ===
 
=== O Homem Prodigioso da Europa ===
   −
{{Main-pt|[[Special:MyLanguage/Wonderman of Europe|O Homem Prodigioso da Europa]]}}
+
{{Main-pt|Wonderman of Europe|O Homem Prodigioso da Europa}}
    
Desejoso, sobretudo, de libertar o povo de Deus, Saint Germain pediu e recebeu uma dispensação dos [[Special:MyLanguage/Lords of Karma|Senhores do Carma]] e retornou à Terra em um corpo físico. Ele apareceu como “o Conde de Saint Germain”, um cavalheiro “milagroso” que, nos séculos dezoito e dezenove, encantou a corte europeia, onde era chamado “O Homem Prodigioso”.
 
Desejoso, sobretudo, de libertar o povo de Deus, Saint Germain pediu e recebeu uma dispensação dos [[Special:MyLanguage/Lords of Karma|Senhores do Carma]] e retornou à Terra em um corpo físico. Ele apareceu como “o Conde de Saint Germain”, um cavalheiro “milagroso” que, nos séculos dezoito e dezenove, encantou a corte europeia, onde era chamado “O Homem Prodigioso”.
   −
O Conde era alquimista, erudito, linguista, poeta, músico, artista, contador de histórias e diplomata, admirado pela sua perícia em todas as cortes da Europa. Ficou conhecido por feitos como remover os defeitos de diamantes e de outras pedras preciosas, ou escrever uma carta com uma das mãos e, ao mesmo tempo escrever uma poesia com a outra. Voltaire descreveu-o como “um homem que nunca morre e tudo conhece”.<ref>Voltaire, Oeuvres, Lettre cxviii, ed. Beuchot, lviii, p. 360, citado em Isabel Cooper Oakley, O Conde de Saint Germain, Editora Pensamento, 1995, p. 77.</ref> O Conde também é mencionado em cartas de Frederico, o Grande, Voltaire, Horace Walpole, Casanova e nos jornais da época.
+
O Conde era alquimista, erudito, linguista, poeta, músico, artista, contador de histórias e diplomata, admirado pela sua perícia em todas as cortes da Europa. Ficou conhecido por feitos como remover os defeitos de diamantes e de outras pedras preciosas, ou escrever uma carta com uma das mãos e, ao mesmo tempo escrever uma poesia com a outra. Voltaire descreveu-o como “um homem que nunca morre e tudo conhece”.<ref>Voltaire, ''Oeuvres'', Lettre cxviii, ed. Beuchot, lviii, p. 360, citado em Isabel Cooper Oakley, ''O Conde de Saint Germain'', Editora Pensamento, 1995, p. 77.</ref> O Conde também é mencionado em cartas de Frederico, o Grande, Voltaire, Horace Walpole, Casanova e nos jornais da época.
   −
Trabalhando nos bastidores, Saint Germain tentou promover uma
+
Trabalhando nos bastidores, Saint Germain tentou promover uma transição tranquila da monarquia para um governo representativo, e evitar o derramamento de sangue que se deu na [[Special:MyLanguage/French Revolution|Revolução Francesa]]. Mas o seu conselho foi ignorado. Numa última tentativa de unir a Europa, apoiou [[Special:MyLanguage/Napoleon|Napoleão]], que abusou do poder do mestre, usando-o em proveito próprio.
transição tranquila da monarquia para um governo representativo, e
  −
evitar o derramamento de sangue que se deu na [[Special:MyLanguage/French Revolution|Revolução Francesa]]. Mas o seu conselho foi ignorado. Numa última tentativa de unir a Europa,
  −
apoiou [[Special:MyLanguage/Napoleon|Napoleão]], que abusou do poder do mestre, usando-o em proveito próprio.
     −
Mas mesmo antes disso, Saint Germain já voltara a sua atenção para
+
Mas mesmo antes disso, Saint Germain já voltara a sua atenção para o Novo Mundo. Ele foi o mestre patrocinador dos Estados Unidos e do seu [[Special:MyLanguage/George Washington|primeiro presidente]], ao inspirar a Declaração de Independência e a Constituição. Saint Germain também inspirou diversos equipamentos do século vinte que levam por diante o seu objetivo de liberar a humanidade do trabalho pesado para que as pessoas possam devotar-se à busca da realização divina.  
o Novo Mundo. Ele foi o mestre patrocinador dos Estados Unidos e do seu [[Special:MyLanguage/George Washington|primeiro presidente]], ao inspirar a Declaração de Independência e a Constituição. Saint Germain também inspirou diversos equipamentos do século vinte que levam por diante o seu objetivo de liberar a humanidade do trabalho pesado para que as pessoas possam devotar-se à busca da realização divina.  
      
== Chohan do Sétimo Raio ==
 
== Chohan do Sétimo Raio ==
Line 163: Line 163:  
No final do século dezoito, a Mestra Ascensa [[Special:MyLanguage/Kuan Yin|Kuan Yin]] concedeu-lhe o cargo de chohan do sétimo raio, da misericórdia, do perdão e do ritual sagrado. No século vinte, Saint Germain ofereceu-se, uma vez mais, para patrocinar uma organização externa da [[Special:MyLanguage/Great White Brotherhood|Grande Fraternidade Branca]].
 
No final do século dezoito, a Mestra Ascensa [[Special:MyLanguage/Kuan Yin|Kuan Yin]] concedeu-lhe o cargo de chohan do sétimo raio, da misericórdia, do perdão e do ritual sagrado. No século vinte, Saint Germain ofereceu-se, uma vez mais, para patrocinar uma organização externa da [[Special:MyLanguage/Great White Brotherhood|Grande Fraternidade Branca]].
   −
Nos primeiros anos da década de 1930, ele contatou o seu “general de campo”, o reencarnado George Washington, a quem treinou como
+
Nos primeiros anos da década de 1930, ele contatou o seu “general de campo”, o reencarnado George Washington, a quem treinou como [[Special:MyLanguage/messenger|mensageiro]] e que, sob o pseudônimo de [[Special:MyLanguage/Godfré Ray King|Godfre Ray King]] publicou os fundamentos das instruções do Mestre para a Nova Era nos livros ''Mistérios Desvelados'', ''A Presença Mágica'' e ''Discursos do EU SOU''. No final da mesma década, a Deusa da Justiça e outros [[Special:MyLanguage/cosmic being|seres cósmicos]] deixaram o Grande Silêncio para ajudar Saint Germain a divulgar os ensinamentos do fogo sagrado à humanidade e a inaugurar a [[Special:MyLanguage/golden age|era de ouro]].
[[Special:MyLanguage/messenger|mensageiro]] e que, sob o pseudônimo de [[Special:MyLanguage/Godfré Ray King|Godfre Ray King]] publicou os
  −
fundamentos das instruções do Mestre para a Nova Era nos livros ''Mistérios Desvelados'', ''A Presença Mágica'' e ''Discursos do EU SOU''. No final da mesma década, a Deusa da Justiça e outros [[Special:MyLanguage/cosmic being|seres cósmicos]] deixaram o Grande Silêncio para ajudar Saint Germain a divulgar os ensinamentos do fogo sagrado à humanidade e a inaugurar a [[Special:MyLanguage/golden age|era de ouro]].
      
Em 1961, Saint Germain contatou o mensageiro [[Special:MyLanguage/Mark L. Prophet|Mark L. Prophet]], seu representante encarnado, e fundou a [[Special:MyLanguage/Keepers of the Flame Fraternity|Fraternidade dos Guardiães da Chama]], em memória do [[Special:MyLanguage/Ancient of Days|Ancião de Dias]] e do seu primeiro pupilo, o Senhor [[Special:MyLanguage/Gautama|Gautama]] – e do segundo, o [[Special:MyLanguage/Lord Maitreya|Senhor Maitreya]]. O seu propósito era acelerar todos que tinham vindo originalmente para a Terra com [[Special:MyLanguage/Sanat Kumara|Sanat Kumara]] – restaurar a memória do antigo voto que haviam feito e da razão de estarem hoje na Terra: servirem como instrutores mundiais e servidores ministrantes nas suas famílias, nas comunidades e nas nações, neste momento crítico da mudança de ciclos.
 
Em 1961, Saint Germain contatou o mensageiro [[Special:MyLanguage/Mark L. Prophet|Mark L. Prophet]], seu representante encarnado, e fundou a [[Special:MyLanguage/Keepers of the Flame Fraternity|Fraternidade dos Guardiães da Chama]], em memória do [[Special:MyLanguage/Ancient of Days|Ancião de Dias]] e do seu primeiro pupilo, o Senhor [[Special:MyLanguage/Gautama|Gautama]] – e do segundo, o [[Special:MyLanguage/Lord Maitreya|Senhor Maitreya]]. O seu propósito era acelerar todos que tinham vindo originalmente para a Terra com [[Special:MyLanguage/Sanat Kumara|Sanat Kumara]] – restaurar a memória do antigo voto que haviam feito e da razão de estarem hoje na Terra: servirem como instrutores mundiais e servidores ministrantes nas suas famílias, nas comunidades e nas nações, neste momento crítico da mudança de ciclos.
   −
Saint Germain convocou os guardiães da chama originais a escutar
+
Saint Germain convocou os guardiães da chama originais a escutar a voz do Ancião de Dias e a responder ao chamado de reconsagrarem a sua vida a reacender a chama da vida e os fogos sagrados da liberdade na alma do povo de Deus. Saint Germain é o Cavaleiro Comendador da Fraternidade dos Guardiães da Chama.
a voz do Ancião de Dias e a responder ao chamado de reconsagrarem a
  −
sua vida a reacender a chama da vida e os fogos sagrados da liberdade
  −
na alma do povo de Deus. Saint Germain é o Cavaleiro Comendador
  −
da Fraternidade dos Guardiães da Chama.
      
== Hierarca da Era de Aquário ==
 
== Hierarca da Era de Aquário ==
   −
Em 1º de maio de 1954, Saint Germain recebeu de Sanat Kumara o cetro de poder e recebeu de Jesus a coroa de autoridade para dirigir a consciência da humanidade neste período de dois mil anos. Isso não
+
Em 1º de maio de 1954, Saint Germain recebeu de Sanat Kumara o cetro de poder e recebeu de Jesus a coroa de autoridade para dirigir a consciência da humanidade neste período de dois mil anos. Isso não significa que a influência do Mestre Ascenso Jesus tenha diminuído. Ao contrário, como [[Special:MyLanguage/World Teacher|Instrutor Mundial]] no nível ascenso, as suas instruções e a consciência Crística que irradia para toda a humanidade são mais poderosas e penetrantes do que antes, pois é da natureza do Divino transcender-Se continuamente. Vivemos em um universo em expansão – um universo que se expande a partir do centro de cada filho (sol) individualizado de Deus.
significa que a influência do Mestre Ascenso Jesus tenha diminuído. Ao contrário, como [[Special:MyLanguage/World Teacher|Instrutor Mundial]] no nível ascenso, as suas instruções e a consciência Crística que irradia para toda a humanidade são mais poderosas e penetrantes do que antes, pois é da natureza do Divino transcender-Se continuamente. Vivemos em um universo em expansão – um universo que se expande a partir do centro de cada filho (sol) individualizado de Deus.
     −
Esta dispensação significa que entramos, agora, em um período de dois mil anos no qual, ao invocarmos no nosso ser e no nosso mundo a chama
+
Esta dispensação significa que entramos, agora, em um período de dois mil anos no qual, ao invocarmos no nosso ser e no nosso mundo a chama violeta transmutadora, a energia divina que a raça humana qualificou incorretamente durante milhares de anos poderá ser purificada e toda a humanidade libertada do medo, da carência, do pecado, da doença e da morte, e todos possam caminhar na luz como seres divinamente livres.
violeta transmutadora, a energia divina que a raça humana qualificou incorretamente durante milhares de anos poderá ser purificada e toda a humanidade libertada do medo, da carência, do pecado, da doença e da morte, e todos possam caminhar na luz como seres divinamente livres.
      
Neste despontar da [[Special:MyLanguage/age of Aquarius|era de Aquário]], Saint Germain apresentou-se ao Conselho do Carma que lhe concedeu a oportunidade de levar o conhecimento da chama violeta para fora dos retiros internos da Grande Fraternidade Branca e das [[Special:MyLanguage/mystery school|escolas de mistérios]]. Saint Germain explica-nos os benefícios da invocação da chama violeta:  
 
Neste despontar da [[Special:MyLanguage/age of Aquarius|era de Aquário]], Saint Germain apresentou-se ao Conselho do Carma que lhe concedeu a oportunidade de levar o conhecimento da chama violeta para fora dos retiros internos da Grande Fraternidade Branca e das [[Special:MyLanguage/mystery school|escolas de mistérios]]. Saint Germain explica-nos os benefícios da invocação da chama violeta:  
Line 187: Line 179:  
<blockquote>Em alguns de vós uma quantidade substancial de carma foi equilibrada; em outros, a dureza de coração dissolveu-se ao redor do [[heart chakra|chakra do coração]]. Surgiu um novo amor, uma nova doçura, uma nova compaixão, uma nova sensibilidade para com a vida, uma nova liberdade e uma nova alegria em buscar essa liberdade. Surgiu uma santidade quando contatastes o sacerdócio da Ordem de Melquisedeque, por meio da minha chama. Certos momentuns de ignorância e densidade mental foram dissolvidos, e procurastes uma dieta mais adequada para obter a mestria divina.</blockquote>
 
<blockquote>Em alguns de vós uma quantidade substancial de carma foi equilibrada; em outros, a dureza de coração dissolveu-se ao redor do [[heart chakra|chakra do coração]]. Surgiu um novo amor, uma nova doçura, uma nova compaixão, uma nova sensibilidade para com a vida, uma nova liberdade e uma nova alegria em buscar essa liberdade. Surgiu uma santidade quando contatastes o sacerdócio da Ordem de Melquisedeque, por meio da minha chama. Certos momentuns de ignorância e densidade mental foram dissolvidos, e procurastes uma dieta mais adequada para obter a mestria divina.</blockquote>
   −
<blockquote>A chama violeta ajudou os relacionamentos familiares; deu condições para que alguns equilibrassem antigos carmas e antigas mágoas, e colocou os indivíduos no rumo certo, de acordo com a sua vibração pessoal. É importante lembrar que a chama violeta contém a chama da justiça divina e que na justiça divina está contida a chama do julgamento. Assim, a chama violeta vem sempre como uma espada de dois gumes para separar o Real do irreal.</blockquote>
+
<blockquote>A chama violeta ajudou os relacionamentos familiares; deu condições para que alguns equilibrassem antigos carmas e antigas mágoas, e colocou os indivíduos no rumo certo, de acordo com a sua vibração pessoal. É importante lembrar que a chama violeta contém a chama da justiça divina e que na justiça divina está contida a chama do julgamento. Assim, a chama violeta vem sempre como uma [[Special:MyLanguage/sword|espada]] de dois gumes para separar o Real do irreal.</blockquote>
   −
<blockquote>Abençoados, é impossível enumerar exaustivamente todos os benefícios da chama violeta, mas ocorre, de fato, uma alquimia na personalidade. A chama violeta ataca as discórdias que provocam problemas psicológicos que remontam à primeira infância e às encarnações anteriores, e criaram fissuras tão profundas na consciência que, mesmo no decorrer de muitas vidas, não é possível curá-las”.<ref>Saint Germain, Keep my Purple Heart (Guardai o meu Coração Purpúreo), Pérolas de Sabedoria, vol.31, n° 72, 29 de outubro de 1988.</ref></blockquote>
+
<blockquote>Abençoados, é impossível enumerar exaustivamente todos os benefícios da chama violeta, mas ocorre, de fato, uma alquimia na personalidade. A chama violeta ataca as discórdias que provocam problemas psicológicos que remontam à primeira infância e às encarnações anteriores, e criaram fissuras tão profundas na consciência que, mesmo no decorrer de muitas vidas, não é possível curá-las.<ref>Saint Germain, Keep my Purple Heart (Guardai o meu Coração Purpúreo), Pérolas de Sabedoria, vol.31, n° 72, 29 de outubro de 1988.</ref></blockquote>
    
== Alquimia ==
 
== Alquimia ==
Line 199: Line 191:  
== Retiros ==
 
== Retiros ==
   −
{{main-pt|[[Special:MyLanguage/Royal Teton Retreat|Retiro do Royal Teton]]}}
+
{{main-pt|Royal Teton Retreat|Retiro do Royal Teton}}
   −
{{main-pt|[[Special:MyLanguage/Cave of Symbols|Gruta dos Símbolos]]}}
+
{{main-pt|Cave of Symbols|Gruta dos Símbolos}}
    
Saint Germain mantém um foco na [[Special:MyLanguage/etheric city|cidade etérica]] dourada, sobre o deserto do Saara. Ele também leciona no [[Special:MyLanguage/Royal Teton Retreat|Retiro do Royal Teton]], assim como no seu retiro físico/etérico, a [[Special:MyLanguage/Cave of Symbols|Gruta dos Símbolos]], na Table Mountain, Wyoming (EUA). Além disso, trabalha a partir dos focos do Grande Diretor Divino – a [[Special:MyLanguage/Cave of Light|Gruta de Luz]], na Índia, e a [[Special:MyLanguage/Rakoczy Mansion|Mansão Rakoczy]], na Transilvânia, onde preside como hierarca. Mais recentemente, estabeleceu uma base na América do Sul, no retiro do [[Special:MyLanguage/God and Goddess Meru|Deus e da Deusa Meru]].  
 
Saint Germain mantém um foco na [[Special:MyLanguage/etheric city|cidade etérica]] dourada, sobre o deserto do Saara. Ele também leciona no [[Special:MyLanguage/Royal Teton Retreat|Retiro do Royal Teton]], assim como no seu retiro físico/etérico, a [[Special:MyLanguage/Cave of Symbols|Gruta dos Símbolos]], na Table Mountain, Wyoming (EUA). Além disso, trabalha a partir dos focos do Grande Diretor Divino – a [[Special:MyLanguage/Cave of Light|Gruta de Luz]], na Índia, e a [[Special:MyLanguage/Rakoczy Mansion|Mansão Rakoczy]], na Transilvânia, onde preside como hierarca. Mais recentemente, estabeleceu uma base na América do Sul, no retiro do [[Special:MyLanguage/God and Goddess Meru|Deus e da Deusa Meru]].  
Line 213: Line 205:  
== Fontes ==
 
== Fontes ==
   −
{{MTR-pt}}, s.v. “[[Special:MyLanguage/Saint Germain|Saint Germain]].”
+
{{MTR-pt}}, s.v. “Saint Germain.”
    
[[Category:Seres celestiais]]
 
[[Category:Seres celestiais]]
    
<references />
 
<references />

Navigation menu