Difference between revisions of "Angel of the Agony/pt"

From TSL Encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
(Created page with "<blockquote>Chamam-me o Anjo da Agonia e venho com as minhas legiões para inspirar os que estão sobrecarregados pelo peso da cruz do carma pessoal e planetário. Vimos para...")
(Created page with "== Fontes ==")
Line 21: Line 21:
 
<blockquote>Chamam-me o Anjo da Agonia e venho com as minhas legiões para inspirar os que estão sobrecarregados pelo peso da cruz do carma pessoal e planetário. Vimos para os corajosos que saúdam os anjos do [[Special:MyLanguage/Lord Maitreya|Senhor Maitreya]] com um alegre: ‘Sim, serei iniciado! Sim, darei o passo seguinte, seja ele qual for. Estou pronto, Senhor, pois desejo vencer o inferno e a morte, nesta vida, nesta minha vida vitoriosa e triunfante.”<ref>Ibid.</ref></blockquote>  
 
<blockquote>Chamam-me o Anjo da Agonia e venho com as minhas legiões para inspirar os que estão sobrecarregados pelo peso da cruz do carma pessoal e planetário. Vimos para os corajosos que saúdam os anjos do [[Special:MyLanguage/Lord Maitreya|Senhor Maitreya]] com um alegre: ‘Sim, serei iniciado! Sim, darei o passo seguinte, seja ele qual for. Estou pronto, Senhor, pois desejo vencer o inferno e a morte, nesta vida, nesta minha vida vitoriosa e triunfante.”<ref>Ibid.</ref></blockquote>  
  
== Sources ==
+
== Fontes ==
  
 
{{MTR}}, s.v. “Angel of the Agony.”
 
{{MTR}}, s.v. “Angel of the Agony.”

Revision as of 21:34, 1 May 2020

Other languages:
English • ‎español • ‎português • ‎русский

O Anjo da Agonia foi o anjo que ministrou a Jesus na cruz. Com as suas legiões, o Anjo da Agonia inspira e eleva os que estão sobrecarregados pelo peso da cruz do carma pessoal e planetário. Ele exemplifica os muitos anjos que cuidam da humanidade sofredora.

Ele pede que nos lembremos dele quando orarmos pelos que sofrem:

Peço que, quando orardes ao nosso Pai, em nome do Cristo e do EU SOU O QUE EU SOU, vos lembreis de me invocar, em prol dos milhares de pessoas que sofrem diariamente, na Terra. Invocai-me, pois assim, poderei enviar as minhas legiões para estarem ao lado dos que esperam e querem ver o aparecimento do seu Senhor.

Peço os vossos chamados por todos que sofrem por deixarem esta

vida, dos que fazem a transição carregando o carma pessoal e o planetário, dos que estão num leito de dor e precisam ser recebidos pelos anjos do céu e pelos Senhores do Carma. Pedi para que possamos estar presentes para encorajar esses seres abençoados com a visão de templos, cidades e retiros etéricos, estimulando-os com uma visão da vida futura, com a alegria e a compreensão, em algum lugar da alma, de que esse sofrimento também equilibra a vida e dá a oportunidade a outros de viverem e serem vitoriosos. Peço que também invoqueis as legiões de anjos para consolarem os que estão na cruz, vivenciando a transição de

entes queridos, pois cuidamos dos que sofrem juntamente com os que passam por essa iniciação.”[1]

O Anjo da Agonia e as suas legiões repreendem os espíritos da morte que zombam dos vitoriosos na hora da agonia, e também inspiram os que passam pelas suas iniciações.

Desejo que compreendais que mesmo na hora do mais intenso sofrimento, na hora em que o templo físico sente dor, há um êxtase no interior da alma e do coração, que se expande, mais e mais, até que o campo de força do Filho de Deus se torne uma réplica do Sol Central, mesmo durante a agonia da crucificação.

Chamam-me o Anjo da Agonia e venho com as minhas legiões para inspirar os que estão sobrecarregados pelo peso da cruz do carma pessoal e planetário. Vimos para os corajosos que saúdam os anjos do Senhor Maitreya com um alegre: ‘Sim, serei iniciado! Sim, darei o passo seguinte, seja ele qual for. Estou pronto, Senhor, pois desejo vencer o inferno e a morte, nesta vida, nesta minha vida vitoriosa e triunfante.”[2]

Fontes

Mark L. Prophet and Elizabeth Clare Prophet, The Masters and Their Retreats, s.v. “Angel of the Agony.”

  1. njo da Agonia, The Hour of Love’s Reunion (A Hora da Reunião pelo Amor), Pérolas de Sabedoria, vol. 44, n° 40, 7 de outubro de 2001.
  2. Ibid.