Difference between revisions of "Dweller-on-the-threshold/pt"

From TSL Encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
(Created page with "{{SGA-pt}}.")
(Created page with "{{POWref|26|6|, 6 de fevereiro de 1983}}")
Line 27: Line 27:
 
{{SGA-pt}}.
 
{{SGA-pt}}.
  
{{POWref|26|6|, February 6, 1983}}
+
{{POWref|26|6|, 6 de fevereiro de 1983}}

Revision as of 17:08, 8 June 2020

Other languages:
English • ‎español • ‎português

Morador do Umbral é a expressão utilizada às vezes para designar o anti-Eu, o não-eu, o eu sintético, a antítese do Eu Real, o conglomerado do ego autocriado, criação indevida pelo uso desordenado do livre-arbítrio, consistindo na mente carnal e em uma constelação de energias malqualificadas, campos de força, focos, magnetismo animal, incluindo-se aí a mente subconsciente. O contato do homem com o eu antimagnético reptiliano – inimigo de Deus, de seu Cristo e da reunião da alma com este Cristo – dá-se através do corpo de desejos, ou corpo astral, e através do chakra do plexo solar.

O morador do umbral, portanto, é o núcleo de um vórtice de energia que forma o “cinto eletrônico”, em forma de tímbalo que circunda os quatro corpos inferiores, da cintura para baixo. A cabeça da serpente do morador é vista, vez por outra, emergindo do pescoço negro do inconsciente. Este cinto eletrônico contém a causa, o efeito, o registro e a memória do carma humano em seu aspecto negativo. O carma positivo, como atos realizados através da consciência divina, está registrado no Corpo Causal e selado nos anéis de fogo eletrônicos que envolvem a Presença do EU SOU de cada um.

O morador do umbral planetário é personificado pelas forças do Anticisto.

O encontro com o morador

Quando a serpente adormecida do morador é despertada pela presença do Cristo, a alma deve tomar a decisão, ditada pelo livre-arbítrio, de exterminar, pelo poder da Presença do EU SOU, este anticristo pessoal e obstinado e tornar-se o defensor do Eu Real, até que a alma reúna-se inteiramente com Ele, que é o Senhor justo, o SENHOR NOSSA JUSTIÇA, o Eu verdadeiro de todas as correntes de vida na senda da iniciação.

O morador aparece à alma no umbral da consciência, onde bate à porta para conseguir entrada no reino ‘legítimo’ da individualidade auto-reconhecida. O morador gostaria de entrar para tornar-se o senhor da casa. Mas é o Cristo, e apenas o Cristo, cuja batida você deve ouvir – apenas a Ele você deve deixar entrar. A mais séria iniciação na senda do discípulo de Cristo é o confronto com o falso-eu. Pois se este não for exterminado pela alma que é uma com a Mente do Cristo, ele emergirá para devorar esta alma na explosão de fúria do seu ódio pela Luz.

A necessidade do instrutor na senda e do Guru Sanat Kumara conosco, manifestando-se fisicamente no Mensageiro de Maitreya, é manter o equilíbrio tanto na oitava espiritual como na física para cada iniciado na Senda, à medida que este se aproxima da iniciação do encontro – face a face com o morador do umbral.

Na Teosofia

No Glossário Teosófico, H. P. Blavatsky define morador no umbral como “um termo inventado por Bulwer Lytton em Zanoni;... 'Morador' é um termo ocultista usado por estudantes por longas eras passadas e refere-se a certos 'duplos astrais' malévolos de pessoas falecidas.” Duplo Astral refere-se à “contrapartida etérea ou sombra de homem ou animal”.  

Para mais informações

Template:TEW-pt

Fontes

Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, Saint Germain On Alchemy (A Alquimia de Saint Germain).

Pearls of Wisdom, vol. 26, no. 6, 6 de fevereiro de 1983.