Lúcifer

From TSL Encyclopedia
Revision as of 17:04, 8 June 2020 by Pduffy (talk | contribs)
Jump to navigation Jump to search
Other languages:
English • ‎español • ‎português

(Do latim, significando “portador da luz”.) Aquele que alcançou a condição de Arcanjo e perdeu esta graça pelo orgulho, ambição e o desejo de estar acima das Estrelas de Deus (Filhos de Deus e Elohim), acima da glória da Shekinah, rivalizando com o Altíssimo. “Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva!...”[1]

Arquétipo do morador do umbral planetário.

Anticristo.

Os anjos caídos

Isaías 14:12–17 dá o relato escritural da declaração de guerra de Lúcifer contra Deus Todo Poderoso e o Seu Cristo:

Como caíste do céu, ó Lúcifer, filho da manhã! como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações!

Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono; no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do norte:

Subirei acima das mais altas nuvens; Serei semelhante ao Altíssimo.

Mas serás levado à cova, ao mais profundo do abismo.

Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremer a terra, e que fazia tremer os reinos?

Que punha o mundo como um deserto, e assolava as suas cidades? Que aos seus cativos não deixava voltar soltos para suas casas?

Sanat Kumara fala sobre os anjos que seguiram Lúcifer na Grande Rebelião:

Na Grande Rebelião contra o SENHOR Deus Todo-Poderoso e as hostes da sua Hierarquia celestial, Lúcifer seduziu um número não pequeno de hostes angélicas lideradas por seus bandos. Seus nomes são mencionados no Livro de Enoque, em outros livros Apócrifos e nas escrituras codificadas do Oriente e do Ocidente.

Mais notáveis são os nomes Satãn, Belzebu, Belial, Baal, etc. Um desses nomes, o do líder mais astuto e sutil de um bando de caídos, chegou a ser usado com letra minúscula no léxico das escrituras sagradas e assumiu uma conotação simbólica e não pessoal. É o da Serpente.

Enquanto o termo “grande dragão” se refere ao conglomerado de toda a falsa hierarquia luciférica organizada contra a Grande Fraternidade Branca, seus membros e hierarquias individuais se especializam em determinadas fases da perseguição do “dragão” à Mulher e na guerra travada pela falsa hierarquia luciférica contra o remanescente da semente da Mulher.

Enquanto Satã é conhecido como o Assassino original usando o assassinato dos portadores da luz para frustrar o plano divino de Deus na Terra, a Serpente, que também é "chamada de Diabo e Satanás", é o Arquiimpostor, o Mentiroso original e o pai da mentira cuja filosofia do engano, baseada no medo e na dúvida, é seu modus operandi em sua guerra contra os verdadeiros Cristos e os verdadeiros profetas.

A Serpente é o Ser Maligno cuja semente, juntamente com a de Satã, é semeada como joio entre o bom trigo da semente Crística. É essa semente que é chamada de a descendência das víboras. “Víbora” é a tradução grega do nome próprio “Serpente”, que, juntamente com os seres caídos de seu bando, foi expulso do céu e encarnou na Terra, onde continuaram a reencarnar desde a Grande Rebelião. [2]

Os anjos que seguiram esse arquiimpostor, nomeado por Jesus "o pai da mentira" e "um assassino desde o princípio",[3] são os caídos, também chamados de luciféricos, satanistas ou filhos de Belial (nomeados a partir de seus vários tenentes). Mais do que desobedientes, esses rebeldes contra a Primeira Causa eram blasfemos e desdenhosos ao Pai e a Seus filhos entre os quais eles encarnaram (veja a parábola do joio e do trigo, Mateus 13), tendo sido trazidos para baixo - ao estado inferior da encarnação física - pelas hostes do SENHOR.  

O julgamento final de Lúcifer

Lúcifer foi atado “na Terra” pelo Arcanjo Miguel em 16 de abril de 1975 (assim como ele e seus anjos foram adados “no céu” pelo mesmo Defensor da Fé e seus anjos) e levado à Corte do Fogo Sagrado em Sírio, onde foi julgado perante os Vinte e Quatro e Anciães por um período de dez dias. O testemunho de muitas almas de luz encarnadas na Terra e em outros planetas e sistemas foi ouvido, juntamente com o dos mestres ascensos, arcanjos e Elohim.

Em 26 de abril de 1975, ele foi considerado culpado de rebelião total contra o Deus Todo-Poderoso pelo voto unânime dos Vinte e Quatro e condenado à segunda morte. Enquanto ele estava no disco de fogo sagrado perante a corte, a chama de Alfa e Ômega subiu como uma espiral de intensa luz branca, cancelando uma identidade e uma consciência que influenciaram a queda de um terço dos anjos das galáxias, e inúmeras ondas de vida evoluindo neste e em outros sistemas de mundos.

Muitos que seguiram o Caído na Grande Rebelião contra o Filho de Deus também foram levados a julgamento. Sua semente, ainda “irada com a Mulher” e seu Filho Varão, está em guerra com os herdeiros da luz de Sanat Kumara no planeta Terra.[4] Eles estão sendo presos diariamente pelo Arcanjo Miguel e os exércitos do Senhor e mandados para serem julgados no juízo final, pois um a um o seu tempo acabou - e eles estão sendo julgados: “cada homem segundo as suas obras”, como o anjo de Jesus mostrou em uma visão dos últimos dias da era de peixes a João Evangelista.

Ver também

Anjos caídos

Satã

Para mais informações

Template:FAOE-pt

Ver também a parábola de Jesus sobre o joio e o trigo (Mateus 13:24–30, 36–43).

Fontes

Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, Saint Germain On Alchemy (A Alquimia de Saint Germain).

Template:MHG-pt.

  1. Is 14:12.
  2. >Elizabeth Clare Prophet, The Opening of the Seventh Seal: Sanat Kumara on the Path of the Ruby Ray, capítulo 33.
  3. João 8:44.
  4. Ver Ap 12.