Paz e Aloha

From TSL Encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
This page is a translated version of the page Peace and Aloha and the translation is 100% complete.
Other languages:
English • ‎español • ‎português

Paz e Aloha são os Elohim do sexto raio, púrpura e dourado, da paz, da fraternidade, do verdadeiro ministério do Cristo e do desejo de estar a serviço de Deus e do homem por meio da mestria da consciência Crística. Do seu Templo da Paz, localizado no reino etérico sobre o Havaí, eles irradiam partículas da paz do Cristo Cósmico sobre todo o planeta, como uma rede da consciência desse Cristo. Paz e Aloha focalizam as chamas dourada e púrpura como o equilíbrio perfeito dos aspectos masculino e feminino da paz. Os raios secretos do Poderoso Cosmos estão focalizados naquele retiro.

As almas que devem encarnar as virtudes do sexto raio – paz, ministério e serviço – em prol da vida, estudam durante um certo tempo no Templo da Paz, preparando-se para a sua missão. Jesus estudou nesse retiro e o Elohim Paz revelou que muitas das afirmações de Jesus Cristo foram-lhe transmitidas por ele. Ele disse que Jesus aprendeu essas afirmações “enquanto era discípulo do Elohim Paz, muito antes de encarnar como Príncipe da Paz”.[1]

A chama da Paz

Em 1965, Paz disse-nos que Jesus usava os mantras para “manter o equilíbrio para as evoluções da Terra”. Paz disse que Jesus usava muitas vezes essas saudações em honra do nome Paz: “Que a Paz esteja convosco”. “Não temais, ó pequeno rebanho, pois a vosso Pai agradou dar-vos o reino”. “Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais”.[2]

O Elohim Paz explicou que quando “o Mestre Jesus dizia ‘Paz, aquieta-te!’, era uma invocação calculada para atrair, da Divindade e do poder dos Elohim, a plenitude da paz cósmica. Foi-lhe concedido o título de Príncipe da Paz por ele ter aceitado expressar-se como um embaixador dos aspectos do nosso cargo”.[3]

Paz também nos orienta a liberarmos o fogo do coração, fazendo o mantra “Paz, aquieta-te e sabe que EU SOU Deus!” Ele disse: “Aprendei a liberar o fogo do coração, o fogo sagrado, e a serdes preenchidos novamente... com este mantra”.[4]

Em 1959, Paz disse: “Selai o vosso mundo diariamente… dentro de uma cápsula do óleo dourado da paz que sai do meu coração e que, como um manto de proteção infinita, protegerá o vosso mundo”.[5] E, em seguida, pediu que levássemos diariamente uma porção dessa paz ao mundo de outras pessoas.

O plexo solar é o chakra do sexto raio da paz e o que governa as emoções. É o “local do sol” onde a paz do Cristo Cósmico deve estabelecer-se no indivíduo. O Elohim Paz ensina-nos a usar o Grande Disco Solar, um escudo de fogo branco deslumbrante, que pode ser colocado sobre o plexo solar para desviar a discórdia enviada pelos outros e, assim, proteger a paz no mundo dos sentimentos. Ele disse:

Gostaria que aprendesseis a magnificar o poder desse disco de luz para que não fosseis tão vulneráveis às investidas alheias. Quando a paz acaba, tudo desaparece, nada mais resta.

Somente quando atingirdes o ponto no qual, uma vez mais, pelo poder do equilíbrio interior, encontrastes o vosso equilíbrio, o poder da paz começará a fluir e voltareis a construir maravilhosos castelos no ar – castelos de esperança – que poderão materializar-se nas bênçãos que desejais, porque mantivestes a paz.[6]

O Elohim pediu para visualizarmos o Grande Disco Solar como um grande escudo redondo de pesada armadura, que reflete a deslumbrante luz do Grande Sol Central, em todas as direções.

Ele explicou:

Quando adquirirdes mestria sobre vós mesmos, como fez o Mestre Jesus, podereis descansar e deixar que outros levem o barco como puderem, sabendo sempre que o mar é de Deus, que o barco é de Deus, que o vosso corpo é o templo de Deus, que a vossa mente é o local onde Deus habita, que a vossa alma é a alma de Deus, que o vento é comandado por Ele e as ondas obedecem à Sua voz....

Repousai na grande tranquilidade cósmica que não se amedronta nem se abala, sejam quais forem as condições externas. E então, dormireis durante as tempestades do mundo ou permanecereis acordados, mas nada vos afetará, pois sois o mestre do vosso mundo.[7]

O problema da guerra

Em 1993, Paz e Aloha disseram-nos por que ainda existe guerra no nosso planeta:

Os momentuns e registros de guerra no planeta Terra não são transmutados porque muitos que conhecem as dádivas da chama violeta e da Ciência da Palavra Falada não as usam para, antes de tudo, transmutar a guerra que há em si mesmos.

Para fazer as pazes com o vosso eu interior, é preciso declarar guerra ao falso eu – a mente carnal ou morador do umbral. A erradicação da guerra pelos sete Elohim e todo o Espírito da Grande Fraternidade Branca é prioridade na nossa agenda. Mas, como dissemos, se os chelas da luz não se dedicarem a desmantelar os componentes de guerra que carregam em suas psiques e permitirem que sejam consumidos... para onde iremos?[8]

Em 1978 Paz e Aloha disseram: “Todos vós que perdeis a tranquilidade por alguns instantes, uma hora ou um dia, contribuís, muito ou pouco, para a guerra, o crime, o assassinato, o caos e o cataclismo”.[9]Os Elohim ensinam que a “aceleração da consciência Crística em todas as pessoas é a única solução para a guerra e a única opção para a paz”.[10]

Em 1992, Paz pediu que nos transformássemos em guerreiros da paz. Ele disse:

A guerra é a ordem do dia dos caídos.... no planeta Terra. O desarmamento e o aparente desaparecimento do mundo comunista não altera esse fato, em nada. Os Budas e os Cristos Cósmicos são os guerreiros da paz. Sede guerreiros da paz e compreendei que o pacifismo é uma perversão da paz! A paz é a ação protetora do sexto raio.[11]

Em 1984, Paz e Aloha explicaram que podem irradiar anéis de paz para reverter as trevas e as ameaças de guerra: “Preciso advertir-vos sobre as forças que se opõem à paz no mundo e desafiarão a minha chama no vosso coração, usando todo tipo de subterfúgio, lógica serpentina e sutileza. Lembrai-vos do sinal da paz do Príncipe da Paz. Erguei a mão direita e fazei com que retrocedam! Lembrai-vos do tubo de luz, do anel solar e do anel da Paz.”[12]

O Elohim Paz avisou que nossa paz é superficial quando nos ofendemos com pequenas coisas e nos irritamos se alguém pisa nos nossos calos. Embora possamos pensar que alcançamos a paz, Paz e Aloha disseram que “noventa e nove por cento da vossa consciência, da vossa energia, estão fora da chama da paz.

“Criastes um zoológico particular e colocastes-vos como zeladores do mesmo, em vez de guardiães da chama da paz. Assim, cuidais dos animais... da vossa criação humana no subconsciente e no inconsciente, que produzistes com a vossa ganância e as vossas trevas, o vosso amor próprio e a vossa vingança”.[13]

Dicas para manter a paz

Ao longo dos anos, os Elohim Paz e Aloha deram muitas orientações que nos ajudam a manter a paz. Pedem-nos para fazermos o melhor em tudo, perdoar e pedir para sermos perdoados, solucionar diariamente as situações usando a chama violeta, sermos humildes, abandonar a rudeza, evitar a tagarelice e a crítica, e manter a paz uns com os outros.

Em 1993, Paz e Aloha prometeram-nos que o céu recompensaria os esforços que fizéssemos para manter a paz e passar nos nossos testes. Eles disseram:

Fazei as pazes com todos, pois não podeis fazer progressos duradouros na Senda enquanto não o fizerdes. Sabei que Deus põe à prova todas as almas viventes. Deveis dispor-vos a passar esses testes e a exercitar a ingenuidade do coração quando o fizerdes.

Nessa altura anunciaram uma dispensação:

A todo indivíduo na Terra que estiver bem com Deus,... serão somados dez mil anjos das legiões do sexto raio do Senhor Jesus Cristo, que ministram às pessoas do planeta Terra. Pensai nisso e regozijai-vos! Compreendei... como pode ser extraordinário o efeito do fator de multiplicação de dez mil anjos no avanço da causa da paz na Terra![14]

Esses anjos têm apenas uma meta: usar o poder da paz com que Deus os dotou para transmutação e “acabar de vez com a guerra, em todos os níveis”. Com a dispensação dos dez mil anjos, “de certa forma, liderais uma companhia de anjos e tendes a responsabilidade de comandá-los – decretardes por eles, inclusive para que sejam protegidos. E deveis participar ativamente de tudo o que acontece na vossa comunidade e no vosso planeta”.[15]

Em 2 de janeiro de 1972, o Elohim Paz concedeu uma dispensação e um mantra. Ele colocou uma réplica, em miniatura, do Pavilhão da Paz no coração dos presentes. E disse:

O que precisais fazer quando tudo ao vosso redor estiver um caos e vos sentirdes estressados e confusos, é visualizardes o Pavilhão da Paz em miniatura. Invocai-me e invocai a vossa Presença Divina individualizada e dizei: “Preciso de vós a toda hora, ó Elohim da Paz e amada Presença do EU SOU! Mostrai a vossa luz!” E, com as palavras “Mostrai a vossa luz”, virei novamente e criarei uma ação vibratória da minha paz em vós.

Paz e Aloha desejam que nos focalizemos na reversão da guerra e nas forças de anti-paz, internas e externas. Geralmente, eles usam os nossos chamados para oferecer uma grande e indizível ajuda ao planeta, a fim de impedir que muitas pequenas guerras se iniciem e ajudar a apagar os fogos de conflagrações maiores. Podemos visualizar um local no planeta que esteja em guerra, convidar os anjos da Paz para irem até lá, fazer os mantras da paz e, com os olhos da mente, ver dez mil anjos da paz descendo para acabar com essa guerra.

Retiro

Artígo principal: Templo da Paz

Seu retiro é o Templo da Paz, localizado no reino etérico sobre as ilhas do Havaí. De lá, eles irradiam partículas da paz do Cristo Cósmico sobre todo o planeta, como uma rede da consciência desse Cristo Cósmico.

Ver também

Fontes

Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, Os Mestres e os seus retiros, s.v. “Paz e Aloha.”

  1. Paz e Aloha, I Came Not do Send Peace, but a Sword (Eu Não Vim para Enviar Paz, Mas Uma Espada), Pérolas de Sabedoria, vol. 21, n° 16, 16 de abril de 1978.
  2. Elohim Paz, 3 de janeiro de 1965.
  3. Elohim Paz, Peace Be Still!, 17 de abril de 1966.
  4. Elohim Paz, I Inaugurate a Thirty-Three-Tiered Spiral of Peace in The Summit Lighthouse (Eu Inauguro Uma Espiral de Paz de Três Níveis na The Summit Lighthouse), Pérolas de Sabedoria, vol. 34, n° 48, 13 de outubro de 1991.
  5. Elohim Paz, 15 de fevereiro de 1959, citado por Elizabeth Clare Prophet em “Ensinamentos dos Elohim Paz e Aloha,” Parte 1, Pérolas de Sabedoria, vol. 44, n° 48, 2 de dezembro de 2001.
  6. Elohim Paz, 3 de janeiro de 1965, citado em Elizabeth Clare Prophet, “Teachings of the Elohim Peace and Aloha”, Parte 1.
  7. Elohim Paz, 3 de janeiro de 1965, citado em Elizabeth Clare Prophet, “Ensinamentos dos Elohim Paz e Aloha,” Parte 2, Pérolas de Sabedoria, vol. 44, n° 49, 9 de dezembro de 2001.
  8. Elohim Paz e Aloha, The Path of True Love (A Senda do Amor Verdadeiro) Pérolas de Sabedoria, vol. 36, n° 21, 23 de maio de 1993.
  9. Paz e Aloha, “I Came Not do Send Peace, but a Sword”, Pérolas de Sabedoria, vol. 21, n° 16, 16 de abril de 1978.
  10. Elohim Paz, 26 de março de 1978.
  11. Elohim Paz, The Crown Jewel of Peace (As Jóias da Coroa de Paz), Pérolas de Sabedoria, vol. 35, n° 43, 14 de outubro de 1992.
  12. Paz e Aloha, Pérolas de Sabedoria, vol. 32, n° 14, 2 de abril de 1989.
  13. Paz e Aloha, I Came Not do Send Peace, but a Sword.
  14. Elohim Paz e Aloha, “The Path of True Love,” Pérolas de Sabedoria, vol. 36, n° 21, 23 de maio de 1993.
  15. Elohim Paz e Aloha, “The Path of True Love,” Pérolas de Sabedoria, vol. 36, n° 21, 23 de maio de 1993.