Sete Santos Kumaras

From TSL Encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
This page is a translated version of the page Seven holy Kumaras and the translation is 100% complete.
Other languages:
English • ‎español • ‎português

Os Sete Santos Kumaras são sete grandes seres que sustentam o foco dos sete Elohim no planeta Vênus. Sanat Kumara é um deles e ocupa a posição do terceiro raio, trazendo a dádiva do amor e da chama trina.

A tradição hindu descreve os Kumaras como os sete (às vezes quatro) filhos nascidos da mente de Brahma que mantêm para sempre sua pureza e inocência juvenil e são chamados de "jovens eternos" ou "príncipes". Diz-se que Sanat Kumara é o mais proeminente dos Kumaras.

O lar deles em Vênus

Vênus é o planeta do terceiro raio deste sistema solar, conhecido por ser o local de treinamento dos avatares que são enviados para a Terra e para outros planetas infiltrados pelos luciféricos. É o lar de Jesus Cristo, de Gautama Buda, do Senhor Maitreya, João Batista, Enoque e de toda a hierarquia do bramanismo, do hinduísmo e dos avatares lemurianos e pré-lemurianos. Todos passaram pelas grandes escolas de mistérios de Vênus e pelos salões e templos dos Sete Santos Kumaras.

Cada um dos Sete Santos Kumaras tem o seu templo individual em Vênus e cada um deles é dedicado às iniciações da chama da Mãe em um dos sete raios. As iniciações da chama da Mãe tornam práticas, na Matéria, as iniciações da Trindade Pai, Filho e Espírito Santo. Se os Sete Santos Kumaras não tivessem mantido a sua consciência divina e pureza absoluta; se não tivessem mantido Vênus como um campo de força de amor; se este campo de força não tivesse sido mantido, literalmente, como chakra do coração deste sistema solar; se o remanescente das evoluções dos planetas não tivesse tido a oportunidade de ser redimido, Sanat Kumara não teria recebido a dispensação de vir para o planeta Terra.

Dispensações dos Sete Santos Kumaras

Os Sete Santos Kumaras concederam algumas dispensações específicas para aumentar a luz na Terra. Em 1975, liberaram para os portadores de luz do mundo “um incremento de luz que é a semente de Alfa, da iluminação cósmica para elevar os fogos da percepção e aumentar a penetração do Ser Infinito”. Este foi um incremento de luz “que só é transmitido uma vez a cada dez mil anos para elevar a consciência e centralizá-la na coroa”.[1]

Em 1976, no Havaí, os Sete Santos Kumaras falaram sobre a expansão da chama da Mãe na Lemúria. Essa chama ficava em um altar central e, ao seu redor – no que é hoje conhecido como o anel de fogo das terras junto ao Oceano Pacífico – havia doze templos dedicados à luz da Mãe. Nos doze templos davam-se as iniciações solares das doze hierarquias. Cada templo tinha o seu tom e a sua chama.

Sanat Kumara disse:

Vimos com o propósito de ancorar certas chaves foháticas na forma de eletrodos, para as energias dos sete raios que se elevam em espiral em sete aspectos da chama da Mãe. A elevação destas energias dá-se a partir do ponto em que desceram na Terra. O ponto de descida da Lemúria e da luz da Mãe também deve ser o ponto de elevação dessa luz da Mãe.[2]

Em 1992, em Atlanta, Georgia, (EUA), Sanat Kumara e os Sete Santos Kumaras falaram sobre o imenso amor e a preocupação que as evoluções de Vênus têm pela humanidade:

Amados corações, gostaríamos que soubésseis que as evoluções da minha estrela natal, Vênus – que habitam num plano que não é físico, no sentido da natureza física da Terra – estão absolutamente atentas enquanto me dirijo a vós, juntamente com os Sete Santos Kumaras. Há telas gigantes pot todo o planeta nas quais podem ser vistos a Mensageira, o vosso rosto e a vossa aura.

E eles enviam amor, ondas crescentes de amor, em apoio aos vossos corações sagrados, em apoio ao amor sagrado que aumenta nos vossos corações, amados – um planeta inteiro de ondas de vida vê agora no que se transformará o planeta, no que se transformarão os seus irmãos, as suas irmãs, chamas gêmeas e almas muito queridas dos seus corações – os que estão reunidos aqui, os que estão reunidos em outras cidades e os que ainda não fazem parte desta comunidade do Espírito Santo, mas avançam em direção ao coração do Buda, do Cristo e de Sanat Kumara.

Sim, amados, senti esse amor, pois esse amor está, verdadeiramente, além deste mundo, pois todos que se unem a vós nesta causa e neste propósito estão determinados a manifestar-se aqui, enviando o seu amor e, também, viajando pelas oitavas etéricas para se colocarem ao vosso lado.

Amados corações, há uma resposta para o esforço que fazeis e para o que doais de vós mesmos. Há uma resposta de outros sistemas. Há uma resposta do Planeta Violeta. Há uma resposta de planetas para além deste sistema solar e, depois, daqueles que estão a anos-luz desta galáxia.

Há um silêncio em todo o cosmo da Matéria pois as decisões que os indivíduos tomarão sobre reverter, ou não, a maré de trevas na Terra fará a diferença. Por essa causa viemos. Assim, juntos na chama vivente, multiplicaremos tudo o que sois pelo poder do amor da Mestra Ascensa Vênus.[3]

Ver também

Fontes

Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, Os Mestres e os seus retiros, s.v. “Sete Santos Kumaras.”

  1. Elizabeth Clare Prophet, The Great White Brotherhood in the Culture, History and Religion of America, p. 283.
  2. Sanat Kumara, Raising the Consciousness of the Mother Flame (Elevando a Consciência da Chama da Mãe), Pérolas de Sabedoria, vol. 42, n° 24, 13 de junho de 1999.
  3. Sanat Kumara com os Sete Santos Kumaras, Let the Wall of Fire Descend (Que Desça a Muralha de Fogo!), Pérolas de Sabedoria, vol. 35, n° 49, 4 de novembro de 1992.