Surya

From TSL Encyclopedia
Jump to navigation Jump to search
This page is a translated version of the page Surya and the translation is 100% complete.
Other languages:
English • ‎español • ‎português
Surya

Surya é um ser cósmico de Sírio. Ele emprega o enorme poder da Estrela Divina em prol das evoluções da Terra. A sua chama é de um azul profundo, matizado de branco.

Surya figura na mitologia e na religião da Índia como o Sol e o Deus Sol. O termo sânscrito surya deriva da raiz sur ou svar, que significa “brilhar”.

Crenças indianas tradicionais

No período medieval indiano, os devotos de Surya integravam uma das cinco seitas principais. O culto a Surya equiparava-se aos cultos dedicados a Shiva, Shakti, Vishnu e Ganesha. A importância do Deus Sol Surya evidencia-se nos hinos védicos e na mitologia hindu. O hino Gayatri, do Rig-Veda, identifica-o com a Trindade hindu. Dedicado ao sol, o hino associa Brahma ao sol da manhã, Shiva ao sol do meio-dia e Vishnu ao sol da tarde. O culto a Surya é mencionado repetidamente no Ramayana, o épico mais antigo da literatura sânscrita. Depois de oferecer uma oração a Surya, Rama derrota o inimigo com facilidade.

Tradicionalmente, Surya é representado sentado em um lótus que está em uma carruagem de ouro puxada por sete cavalos ou por um único cavalo que tem sete cabeças. Ele cruza o céu observando as ações boas e más, de mortais e de imortais. A carruagem costuma ter apenas uma roda, que simboliza a senda reta da justiça que ele mantém. O cocheiro é a divindade do amanhecer que cavalga à frente, usando o próprio corpo para abrigar o mundo dos raios brilhantes de Surya.

 
Templo de Surya em Konark, Índia

Um dos mitos hindus relata que o deus-sol Surya desposou a filha do arquiteto celestial dos deuses. Ela achou a radiação de Surya forte demais e fugiu. Ele perseguiu-a e encontrou-a, depois de longa busca. Uma vez reunidos, o arquiteto dos deuses fez um ajuste em Surya de maneira que a esposa pudesse permanecer ao seu lado. Enquanto cantava louvores ao deus-sol, o arquiteto diminuiu-lhe a radiação excessiva, mantendo intacta somente uma fração da sua glória original, na forma esférica. Com a radiação excedente, o arquiteto criou armas para vários deuses, dentre elas o tridente de Shiva. Apesar da sua alteração Surya continuou resplandecente. Ele e a esposa tiveram muitos filhos. O filho mais velho foi Vaivasvata Manu que,na tradição hindu, é o progenitor da raça humana. Nós conhecemo-lo como o manu da quinta raça-raiz.

Um dos mais famosos templos dedicados a Surya é o colossal Surya Deula (Templo do Sol), construído no século treze, em Konarak, no estado de Orissa, na Índia. O templo tem mais de trinta metros de altura e um átrio na forma de uma carruagem gigante, apoiada em doze rodas e puxada por sete cavalos de pedra. Atualmente, o culto a Surya como divindade suprema, está reduzido a uma seita pequena, mas há uma imagem dele em todos os templos hindus.

 
Sírio (centro inferior da imagem) com a constelação do Cão Maior (à direita) Imagem do Telescópio Hubble

O ser cósmico

Os mestres ascensos ensinam que o deus Surya é o hierarca da Estrela Divina Sírio, a estrela mais brilhante do céu e sede do governo divino para este setor da galáxia. Sírio, chamada no mundo externo Estrela do Cão, é conhecida pelos astrônomos como estrela binária da constelação do Cão Maior. A estrela Sírio A, a mais brilhante das duas, é azul e branca, e vinte e três vezes mais brilhante que o nosso sol. A Sírio B é uma estrela anã, branca, não visível a olho nu. Vemos a devoção do chela Cuzco ao guru Surya na rotação do sol menor ao redor do maior.

Em um sentido espiritual, todos vieram de Sírio. Ela é o nosso ponto de origem e o nosso lar no nível mais profundo do nosso ser. Como Jesus disse: “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Vou vos preparar lugar”[1] Entendemos que há, de fato, uma mansão, um castelo de luz em Sírio, o lar original que deixámos, há tanto tempo. Surya diz: “Muitos de vós viestes da Estrela Divina e a considerais vossa base domiciliar, pois vos oferecestes, como voluntários, para servir com os anjos de Sírio e entrar nestas oitavas de maia”.[2]

Sanat Kumara falou sobre a Estrela Divina em 1979:

Quando nos referimos à Estrela Divina, falamos de um plano de consciência no qual a vida acelerou até alcançar a perfeição etérica e as oitavas de luz muito além das frequências mais elevadas, mas ainda dentro dos limites do que é chamado Matéria. Os planos do céu que estão além dos planos do tempo e do espaço, são glorificados na Estrela Divina po meio da consciência divina do grande ser conhecido como Surya. Surya, o Grande Guru e o seu chela, o Mestre Ascenso Cuzco, são as divindades que animam estes dois pontos de luz que se movem como um só – como Alfa e Ômega, numa polaridade positiva/negativa.[3]

Serviço de Surya

A partir da Estrela Divina, Surya mantém o equilíbrio das forças da natureza na Terra. O seu ajudante é o Mestre Ascenso Cuzco, cujo retiro etérico fica em Viti Levu, nas ilhas Fiji, no Pacífico Sul. Esse retiro é dirigido pela hierarquia de Sírio. Cuzco viaja entre a Terra e Sírio para fazer o seu relatório aos Vinte e Quatro Anciães e ao Deus e à Deusa Solar da Estrela Divina.

Surya trabalha com o Senhor Jesus Cristo no julgamento dos anjos caídos. Ele prometeu colocar a sua Presença Eletrônica onde estivermos e onde os anjos caídos estejam em qualquer lugar da Terra. Podemos visualizar este ser poderoso em qualquer ponto da face da Terra, sentado na postura de lótus como um poderoso Buda de luz.

Para lidar com problemas de difícil solução, basta fazer uma novena a Surya, usando o seu decreto.[4] A resposta será uma penetração profunda do nosso ser e do nosso mundo. Mesmo que o resultado leve algum tempo para se manifestar, a liberação é poderosa e, às vezes, quase imperceptível, por ocorrer em níveis tão profundos do ser.

Em 1989, Surya falou sobre o nosso lar na Estrela Divina:

Afirmo a origem dos filhos e das filhas de Deus no ponto da Estrela Divina, Sírio. Afirmo que este foco do Grande Sol Central é o ponto de origem de muitas pessoas que, neste momento, passam pelas salas de aula da Terra. Assim, venho para reforçar a Ordem da Rosa Azul de Sírio e para vos lembrar que deveis lealdade à Ordem do Primeiro Raio.

Gostaria que compreendêsseis que o amado El Morya, Filho de Sírio e devoto da vontade de Deus, é o senhor do primeiro raio por um motivo, amados, que é permanecer no mundo para treinar na senda do discipulado os descendentes da Estrela Divina, que precisam estimular a mente, a alma, o coração e o corpo de desejos, de acordo com uma senda de devoção e serviço, de acordo com a verdadeira atividade da mente geminiana de Deus, fundamentada na sagrada vontade que é a grade de luz do plano divino.

Se conseguirdes visualizar a forma complexa e geométrica da Terra, a forma de uma esfera, compreendei que é a vossa congruência com esse padrão esférico que vos eleva à vibração de Sírio, que se torna a porta aberta para a sua pureza e a porta aberta para o retorno àquele lar de luz.

Este é o pedido que fazemos aos que começam a lembrar-se que são peregrinos que passam pelas salas de aula da Terra, mas têm lares de enorme magnificência na nossa estrela de luz. Saístes de lá e deixastes para trás grandes palácios, uma era de ouro perene e uma evolução composta por ondas de vida que estão em contato constante com os seus instrutores.

Alinhai-vos com a Estrela Divina. Para esse fim, os amados Astrea e Pureza estabeleceram este arco entre a Estrela Divina e a Terra.[5] Quando a nossa estrela estiver visível, sugiro que reserveis um instante para contemplar aquele Sol Central e fazer o mantra “EU SOU Alfa e Ômega. EU SOU Alfa e Ômega no núcleo de fogo branco do Ser”.

Seres abençoados, o mantra da nossa afirmação onde estais como “EU SOU O QUE EU SOU Deus Surya e Cuzco no meu coração, na minha alma e na minha mente!” permitir-nos-á ancorar essas correntes em vós. E, acreditai-me, amados, há correntes vindas das estrelas! Há raios que descem realmente e são vitais para o desenvolvimento da espiritualidade das almas e dos seus chakras.[6]

A poderosa Águia Azul de Sírio

Artígo principal: poderosa Águia Azul

A poderosa Águia Azul é uma formação de anjos de raios azuis que vêm de Sirius para ajudar Arcanjo Miguel em seu trabalho em prol das evoluções deste sistema solar. Ao estudar os componentes da poderosa Águia Azul, você verá que todas as penas e partes são um anjo de chamas azuis. É uma vasta formação que preenche os céus estrelados.

Ver também

Fontes

Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet, Os Mestres e os seus retiros, s.v. “Surya.”

  1. Jo 14:2-3.
  2. Surya, Turning Points in the Earth (Pontos de Mudança na Terra), Pérolas de Sabedoria, vol. 37, n° 36, 4 de setembro de 1994.
  3. Sanat Kumara, Abertura do Sétimo Selo, cap. 29.
  4. Decreto 10.13 em Orações, Meditações, Decretos Dinâmicos para a Transmutação Pessoal e Mundial, SLB Editora.
  5. Astrea e Pureza, Pérolas de Sabedoria, vol. 32, n° 18, 30 de abril de 1989.
  6. Surya, Pérolas de Sabedoria, vol. 32, n° 19, 7 de maio de 1989.